Caos no trânsito chega antes do previsto

Chegada antecipada de comitivas estrangeiras e manifestações não informadas à prefeitura contribuíram para pesadelo dos cariocas

MARCELO GOMES , FÁBIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2012 | 03h05

O caos no trânsito do Rio, que a prefeitura previa começar amanhã, foi adiantado em dois dias com a chegada de seis comitivas de chefes de Estado ou de governo para a Rio+20 e a três manifestações que ocuparam as ruas do centro e do Aterro do Flamengo.

Hoje a situação deve piorar, com a chegada de 50 delegações estrangeiras e a realização de pelo menos uma manifestação, prevista para as 18 horas, no centro.

Segundo o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Osório, duas das três manifestações não foram comunicadas à prefeitura. A outra, embora informada, seguiu trajeto diferente do combinado. Ele considera grande a possibilidade de que novas manifestações não informadas à prefeitura sejam realizadas.

"O mundo está de olho no Rio, então é natural que determinados grupos queiram promover atos", disse. "Quanto ao protesto que foi comunicado, a prefeitura não concordou, apenas tomou ciência. Havia duas alternativas: mobilizar policiais para impedir o ato ou acompanhá-lo para reduzir os efeitos no trânsito e evitar atropelamentos. Esta foi a opção adotada."

Hoje, a partir das 5 horas, será implantada uma faixa exclusiva na pista sentido centro da Linha Vermelha. A medida se estenderá até as 21 horas de amanhã. As faixas da orla normalmente revertidas pela manhã, para escoar o trânsito da zona sul rumo ao centro, não serão alteradas hoje.

"Tínhamos a informação de que as comitivas chegariam na manhã de quarta. Por isso, de quarta a sexta foi decretado feriado escolar e ponto facultativo nas repartições públicas", afirmou Osório. "Se soubéssemos antes da chegada antecipada, teríamos decretado feriado também na terça."

Embora os protestos tenham ocorrido no centro, houve reflexos em outras regiões da cidade. Na Linha Vermelha, que liga a zona norte ao centro, o tempo médio de percurso do trajeto total aumentou 33% em relação aos dias comuns, chegando a quase 29 minutos, às 11h30. No centro, motoristas que trafegaram pelas faixas exclusivas de ônibus durante as manifestações não serão multados, segundo a prefeitura.

Amanhã também está previsto um protesto, a partir das 15h30, quando manifestantes seguirão da Igreja da Candelária até a Cinelândia, no centro. A partir das 7 horas, para o deslocamento dos chefes de Estado do Rio entre os locais de reunião, serão interditados trechos das Avenidas Salvador Allende e Embaixador Abelardo Bueno, na zona oeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.