Capitão da Lazio é preso em investigação sobre manipulação de resultados

Operação policial incluiu buscas em residências de diversos jogadores, técnicos e cartolas do futebol italiano, suspeitos de participar de escândalo envolvendo casas de apostas.

BBC Brasil, BBC

28 Maio 2012 | 06h12

O capitão da equipe da Lazio, Stefano Mauri, está entre as mais de dez pessoas detidas nesta segunda-feira em meio a uma investigação policial sobre alegações de manipulação de resultados no futebol italiano.

Além do meio-campista Mauri, de 32 anos, também foi preso o ex-jogador do Genoa Omar Milanetto (atualmente no Padova, da Série B), segundo a polícia e a agência Ansa.

As investigações partiram de suspeitas de que profissionais do futebol italiano estariam recebendo dinheiro para manipular o resultado de partidas de futebol, pago por associações de casas de apostas aparentemente baseadas em Cingapura.

Ainda nesta segunda-feira, as autoridades italianas faziam buscas e apreensões em mais de 30 residências de jogadores, técnicos e cartolas de clubes de diversas divisões do Campeonato Italiano.

Outras cinco pessoas foram presas na Hungria, sob suspeita de participarem de uma operação internacional de apostas ilegais.

Suspeitas

As suspeitas de manipulação de resultados no futebol italiano estão em curso há meses. Em junho passado, o Ministério do Interior montou uma força-tarefa especial para investigar diversos casos nas altas esferas do esporte.

Em agosto, o ex-capitão do Atalanta e meio-campista da seleção italiana Cristiano Doni foi banido do esporte por três anos e meio, acusado de participação em um escândalo de manipulação de resultados na temporada passada da Série B.

Ele acabou detido em dezembro passado, e o Atalanta, que fora promovido da Série B à A no final da temporada 2010-11, perdeu seis pontos como punição.

Outros 15 jogadores também foram banidos do esporte, por períodos entre um e cinco anos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.