Captação de água é retomada após dois meses em Itu

Depois de dois meses fora de operação por causa do nível baixo, as bombas do sistema de captação das represas do Itaim e do Fubaleiro voltaram a ser ligadas nesta terça-feira, 4, em Itu, na região de Sorocaba. As chuvas dobraram o volume de água e trouxeram a esperança de que o racionamento, iniciado há nove meses na cidade paulista, esteja com os dias contados.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Estadão Conteúdo

04 Novembro 2014 | 19h37

Até a tarde, havia chovido em média 60 milímetros na cidade, suficientes para elevar o nível da Represa do Itaim, que abastece a região central, de menos de 2% para cerca de 4%. O nível da Represa do Fubaleiro, que atende a zona leste, subiu para 5%. No reservatório de São Miguel, que abastece a região do Pirapitingui, o impacto das chuvas foi maior, elevando o nível de 2% para 20%.

De acordo com a concessionária Águas de Itu, as chuvas também contribuíram para uma ligeira redução no consumo. Apesar da melhora, o abastecimento ainda depende da água retirada de poços e açudes particulares e transportada por caminhões-pipas até as estações de tratamento.

Os bairros mais altos continuam sem receber água mesmo com o rodízio. A concessionária estima que são necessários 300 milímetros de chuva para que o modelo de racionamento, com distribuição de água em dias alternados, seja revisto.

Mais conteúdo sobre:
abastecimento crise da água Itu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.