Cárcere privado termina em morte em Guaíba-RS

O desempregado Cleomar Antônio da Silva, de 36 anos, matou sua ex-companheira, a balconista Luciana Rodrigues de Souza, de 28 anos, e se suicidou, depois de mantê-la sob cárcere privado por quase 16 horas em Guaíba (RS). A polícia apurou que o homem encontrou a mulher na rua, na tarde de ontem.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

20 Junho 2011 | 17h58

Os dois voltaram a se desentender e seguiram para dentro da casa dela, sem interromper a discussão. Lá dentro, o homem decidiu fazer a ex-companheira refém e ameaçou até provocar uma explosão com o botijão de gás.

A Polícia Militar (PM) cercou o local e passou a noite toda tentando negociar a rendição. Ao amanhecer, Silva chegou a dizer que iria se entregar. Pouco depois, no entanto, os policiais ouviram três disparos e invadiram a casa. O homem e a mulher estavam agonizando e foram socorridos, mas morreram a caminho do hospital.

Familiares e vizinhos contaram que o homem já tinha passagens pela polícia e era acusado de suposto assédio a uma enteada. Além disso, teria feito ameaças à balconista. A mulher havia pedido medidas de proteção à Justiça, mas acabou sendo assassinada antes da audiência. O casal tinha duas filhas.

Mais conteúdo sobre:
cárcere privado morte Guaíba-RS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.