Cardeal diz que jornada mundial será 'prova' para o Rio

Antes de sediar jogos da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o Rio de Janeiro terá que provar sua capacidade em receber eventos de grande porte com a Jornada Mundial da Juventude, realizada pelo Vaticano em 2013. Essa é a expectativa da organização do evento, que esteve no Rio na última semana para avaliar os preparativos. Durante a jornada, a cidade deve receber cerca de dois milhões de jovens católicos de mais de 80 países.

ANTONIO PITA, Agência Estado

02 Março 2012 | 18h21

"De um certo modo, será um momento de prova geral da capacidade do Rio antes de outros eventos de proporção mundial. Será uma comunicação do Rio para o mundo", disse o cardeal polonês Stanislaw Rylko, que representa o Vaticano na organização da jornada.

Segundo Rylko, os governos municipal, estadual e federal deram garantias de que as obras de mobilidade e de reforma dos aeroportos estarão prontas a tempo. Para ele, não há dúvida de que o evento será bem sucedido. "Eles compreendem algo fundamental, que o investimento no jovem é o melhor que se pode fazer para investir no futuro do Brasil e do mundo".

A visita da comitiva que organiza a Jornada ao Rio durou cinco dias. Hoje, os representantes do Vaticano apresentaram um balanço da viagem e ressaltaram o profissionalismo da organização. Durante a estadia, a comitiva se encontrou com o governador Sérgio Cabral e com o prefeito Eduardo Paes, além de visitar lugares que poderão sediar eventos com a presença do papa Bento XVI.

Oito locais são cotados para receber uma missa, uma vigília e outras duas cerimônias abertas ao público. "Não podemos criar falsa expectativa antes de alguma definição. A decisão envolve os assessores do Vaticano, o comitê local e geral de organização da Jornada", despistou Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio. Na lista dos possíveis locais estão a Catedral de São Sebastião e o Aterro do Flamengo, que foram visitados pelo cardeal Rylko na quarta-feira, 29. Técnicos da segurança do papa farão uma nova inspeção nos locais antes da decisão, prevista para julho.

Rylko também destacou o entusiasmo dos brasileiros pelo evento em oposição ao "desânimo" do catolicismo na Europa. "Dá para ver que a jornada já está acontecendo para os brasileiros. A fé brasileira é efervescente, dinâmica e cheia de alegria. O Brasil tem muito a oferecer à juventude católica. E quem convida os jovens do mundo inteiro para a jornada no Rio é o Cristo Redentor". A comitiva levará ao Vaticano a sugestão do comitê local para que uma réplica de 3 metros do Cristo seja exposta na Praça de São Pedro, em Roma. A entrega seria realizada após uma visita da comitiva brasileira ao Vaticano para discutir a Jornada, no final do mês.

Mais conteúdo sobre:
religiãoVaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.