Carlsberg vê crescimento no mercado russo em 2012

COPENHAGEN (Reuters) -A cervejaria dinamarquesa Carlsberg espera que o seu mercado-chave russo comece a se recuperar em 2012, mesmo que o declínio nos mercados da Europa Ocidental possa se intensificar nos próximos três anos com o aprofundamento da crise na Zona do Euro.

REUTERS

02 de janeiro de 2012 | 16h55

A quarta maior cervejaria do mundo afirmou que o mercado russo, que representa um terço das vendas do grupo, irá melhorar este ano, depois de sofrer elevados impostos sobre cerveja em 2010, inflação alta e questões regulatórias, disse o presidente-executivo Jorgen Buhl Rasmussen à Reuters em entrevista.

"Vemos nossa participação de mercado crescer na Rússia em 2012, como uma tendência de mercado", Rasmussen afirmou nesta segunda-feira.

"O que aconteceu em 2011 e nos últimos dois ou três anos foi único", disse ele, se referindo ao aumento dos impostos, mercados de cerveja em queda e competição acirrada.

Para 2011, a Carlsberg espera que o mercado de cerveja na Rússia terá diminuído para um dígito percentual, mas a recuperação em 2012 seria ajudada por uma economia russa mais saudável, disse.

No terceiro trimestre de 2011, o mercado russo de cerveja - o quarto maior do mundo depois da China, Estados Unidos e Brasil - caiu cerca de 7 por cento, e a participação de mercado da Carlsberg para 37,8 por cento, ante 39,3 por cento.

"Na Europa Oriental, eu acredito... em algum ponto de 2012... nós vamos ver um pouco de crescimento no mercado geral de cerveja", disse Rasmussen.

Em outubro, a Carlsberg anunciou a substituição do presidente da unidade russa Baltika Breweries para lidar com o declínio do seu negócio.

Rasmussen afirmou que esperava que o novo chefe daquela unidade, Isaac Sheps, antes responsável pela Carlsberg Reino Unido, se mire em três principais áreas.

"Resultados, participação de mercado e geração de caixa", disse.

EUROPA OBSCURA

Enquanto a Europa Oriental deve retornar a crescer este ano, a previsão para 2010 era mais obscura nos mercados mais maduros da Europa Ocidental e no Norte da Europa.

Cerca de metade dos lucros da Carlsberg vêm das duas regiões. A crise da dívida na Zona do Euro atingiu o sul, em países como Grécia, Itália e Espanha, ameaçando se espalhar para grandes economias na Europa do norte.

(Reportagem de Mette Fraende)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSUMOCARLSBERGRUSSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.