Carlyle fecha dois fundos de investimento

O Carlyle decidiu liquidar os dois fundos de investimento que lançou em 2014, mostraram documentos ao regulador nesta semana, com a empresa de private equity buscando outras formas de ganhar mais tração com chamados fundos alternativos líquidos.

REUTERS

18 Abril 2015 | 16h17

Desenvolver fundos de investimento tem sido historicamente um desafio para empresas de private equity, porque o fundo médio é ilíquido, com uma vida média de 10 anos. Mas, como essas empresas se diversificaram em ativos alternativos relativamente mais líquidos, como fundos de crédito e de hedge, têm procurado ampliar sua base para além de investidores institucionais.

No mês que vem, o Carlyle vai fechar o Carlyle Global Core Allocation Fund, que tem 50 milhões de dólares em ativos líquidos, com mandato para investir em ações, dívida, imóveis, commodities e moedas usando fundos negociados em bolsa.

O Carlyle Enhanced Commodity Real Return Fund, com mandato para investir em classes de ativos como energia e metais, mas nunca decolou, também será fechado.

O movimento deixa o Carlyle Diversified Global Asset Management (DGAM), que gerencia fundos hedge funds, como sua principal plataforma para alternativas de produtos líquidos.

Um porta-voz do Carlyle não quis comentar.

A mudança estratégica vem um ano após o Carlyle contratar Jeff Holland, ex-executivo sênior do BlackRock, para liderar os esforços de introduzir ativos alternativos para investidores individuais.

O Carlyle também desenvolveu outros produtos destinados a aumentar a liquidez de suas ofertas tradicionalmente ilíquidos.

Com sede em Washington, o Carlyle tinha 194 bilhões de dólares em ativos sob gestão no final de dezembro.

(Reportagem de Greg Roumeliotis)

Mais conteúdo sobre:
FUNDOSCARLYLEFUNDOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.