Carnaval 2008: veto a comida e bebida causa confusão

Antes mesmo da abertura dos portões do Sambódromo do Anhembi, na zona norte da capital paulista, um princípio de confusão foi formado na entrada 23, por volta das 19 horas de hoje. Os seguranças do Anhembi avisaram as pessoas que aguardavam na fila que não seria permitida a entrada de comida e bebida no Sambódromo. A medida causou revolta em alguns, que alegaram que o veto não foi informado antecipadamente."Se tivéssemos sido avisados, concordaríamos plenamente. Mas agora que compramos tudo, vamos colocar a comida onde? Jogar tudo no lixo?", disse Edna Ferreira Leite, 61 anos, e que freqüenta o carnaval de São Paulo desde a inauguração do Sambódromo (1991). Ela estava com salgadinhos, sucos e água dentro de uma bolsa térmica. "Infelizmente vamos ter de criar confusão. Todos somos de paz, mas isso é um abuso."Valéria dos Santos, 38 anos, freqüentadora há 14 anos do carnaval paulista, mostrou o ingresso e disse que em nenhum lugar há um aviso sobre o veto. "Eles disseram que foi avisado pela internet, mas nem todo mundo tem acesso à internet", afirmou. "Cadê o Código do Consumidor?", questionou, visivelmente nervosa.Após muito tempo de reclamação, chegou a informação de que os alimentos foram liberados. Porém, as bebidas continuam proibidas. Uma das organizadoras afirmou que a assessora responsável para comentar o assunto ainda não havia chegado ao Sambódromo.

WLADIMIR D'ANDRADE, Agencia Estado

01 de fevereiro de 2008 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.