Carro-bomba mata 34 na província síria de Hama, diz agência estatal

Um carro-bomba matou 34 pessoas e feriu mais de 50 na província de Hama, no oeste da Síria, afirmou a agência estatal síria de notícias nesta sexta-feira, atribuindo o ataque a forças rebeldes que combatem o presidente Bashar al-Assad.

REUTERS

20 Junho 2014 | 07h37

Não ficou imediatamente claro se o ataque estava de algum modo relacionado com o grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), que é muito ativo na Síria e se apoderou de várias extensões de território no Iraque.

A Frente Nusra, grupo ligado à al Qaeda e que combate o EIIL, estaria por trás de vários atentados com bomba nos últimos meses em Hama.

De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, grupo anti-Assad que monitora o conflito, 38 pessoas foram mortas e mais de 40 ficaram feridas na explosão ocorrida em Hurra, um vilarejo muçulmano alauíta perto da cidade de Hama. Assad é da seita alauíta, uma ramificação do Islã xiita.

O Observatório disse que um atacante suicida em um caminhão com explosivos provocou o atentado, matando muitos civis, incluindo mulheres e crianças.

(Reportagem de Sylvia Westall)

Mais conteúdo sobre:
SIRIACARROBOMBAHAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.