Carro de repórter búlgaro é alvo de bomba dias antes de eleição

Uma bomba destruiu o carro de um popular jornalista búlgaro na noite de quinta-feira na capital do país, Sófia, coincidindo com a visita do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, e três membros da comissão na Bulgária, disse a polícia.

REUTERS

14 de outubro de 2011 | 09h55

A explosão não causou vítimas, mas o incidente é o mais recente golpe nos esforços do governo de centro-direita de pôr fim ao clima de impunidade no país, um dos mais corruptos membros da União Europeia, antes de eleições locais e presidenciais, marcadas para 23 de outubro.

O jornalista de TV Sasho Dikov, conhecido por sua atitude crítica em relação ao governo, disse que nunca recebeu nenhuma ameaça.

"Relaciono (a explosão) a indivíduos que pensam que isso possa ser uma ferramenta útil na campanha pré-eleitoral", disse o ministro do Interior, Tsvetan Tsvetanov. segundo a agência de notícias Focus.

O partido governista GERB venceu as eleições de 2009 com a promessa de impor o respeito à lei e melhorar a imagem da Bulgária, mas ainda não prendeu criminosos importantes.

O atentado contra o jornalista se segue a uma série de pequenas explosões e distúrbios na Bulgária este ano, o que evidenciou os maus resultados obtidos pelo governo na melhoria da economia e repressão ao crime organizado.

(Por Irina ivanova)

Mais conteúdo sobre:
BULGARIAJORNALISTAATENTADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.