Cartão de crédito invade praias do litoral norte de SP

Quem vai para o litoral norte de São Paulo no Ano Novo ou passar as férias de verão agora não precisará mais se preocupar em levar dinheiro trocado e moedas. Novidade neste verão, agora é possível comprar em algumas praias lanches, bolas, boias, roupas de praia, chapéus, óculos e outros artigos, tudo com cartão de crédito e sem precisar sair da areia.

REGINALDO PUPO, Agência Estado

26 Dezembro 2012 | 17h21

A novidade surpreendeu os turistas. "Sempre trago uns trocadinhos para comprar uma água ou refrigerante, jamais imaginaria que (na praia) aceitasse cartão de crédito", disse Dinalva Ortega, 43, que ao saber da novidade, aproveitou para comprar uma canga e uma esteira de palha, na Praia de Barequeçaba, em São Sebastião, com seu cartão. Nesta praia, todos os ambulantes aceitam a nova forma de pagamento.

"Um dia o dinheiro vai acabar, então, já me antecipei e estou aceitando cartões de crédito", disse o ambulante Domingos Vieira, 52 anos, 17 deles trabalhando na Praia de Barequeçaba. Segundo ele, é possível comprar com cartão a partir de R$ 5,00. "Menos que esse valor não compensa para o cliente", avisa. De acordo com alguns ambulantes, as vendas, apesar da novidade, já chegam a representar 30% das vendas. "O turista que fica sabendo, no dia seguinte volta e já compra com cartão", disse Ana Paula dos Santos, 22, que vende lanches com cartões de crédito na Praia do Guaecá, em São Sebastião.

Calor

Os termômetros instalados pela prefeitura de São Sebastião em algumas ruas da cidade oscilaram ontem entre 43ºC e 46ºC. O forte calor levou milhares de pessoas para as praias. "Estou de folga e está impossível ficar em casa, mas mesmo aqui na sombra, está muito calor. O jeito é a cada 15 minutos tomar banho de mar", disse Aparecida Gomes Silva, 28, que estava sob uma árvore com uma amiga na Praia do Arrastão, em São Sebastião. Ontem a praia estava imprópria para o banho de mar.

Mais conteúdo sobre:
litoral norte cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.