Cartas

O Estado de S.Paulo

10 Junho 2009 | 03h00

linkReceitas caseiras para controlar pulgão

O que devo fazer para evitar manchas pretas e pulgões no pomar de laranja e lagartas no pomar de maracujá? Fiz uma pulverização com óleo mineral mais malathion, porém as folhas murcharam. Por favor, me informe uma maneira menos radical e eficiente para resolver o problema.

Orlando Marques

São Paulo (SP)

No livro Defensivos alternativos e naturais, o engenheiro agrônomo Silvio Roberto Penteado dá receitas de caldas caseiras para controle de pragas. Calda de arruda, indicada para controlar pulgões, ácaros, lagartas pequenas, cochonilhas, moscas brancas e percevejos: colha 3 ramos de arruda (de 30 centímetros de comprimento); pique os ramos e as folhas; bata no liquidificador com 1 litro de água, coe a mistura em pano fino e guarde em garrafa escura. Para aplicar, separe 1 copo da calda e misture com 2 litros de espalhante de sabão. Calda de alho, pimenta e sabão, com ação repelente: pique e amasse 1 cabeça de alho e 2 pimentas vermelhas dedo-de-moça; pique 1/4 de barra de sabão de coco e dissolva em 2 litros de água quente; junte o alho e a pimenta; deixe esfriar, coe em pano fino e aplique. Calda de fumo, que controla pulgões, lagartas pequenas, ácaros, cochonilhas e moscas brancas: misture 0,5 litro de álcool (92 graus) em 0,5 litro de água; coloque a mistura em garrafa plástica de 1,5 litro; pique 100 gramas de fumo de corda e coloque na mistura de álcool e água; feche a garrafa e deixe em local escuro por 15 dias; depois, coe a solução em pano fino, coloque o líquido obtido em garrafa escura e mantenha tampado em local fresco e escuro. Pimenta vermelha: bata no liquidificador 500 gramas de pimenta vermelha (malagueta) com 2 litros de água até a maceração total, coe e misture 5 colheres (sopa) de sabão de coco em pó e mais 2 litros de água; depois pulverize as plantas atacadas. Pimenta do reino, para pulgões, ácaros e cochonilhas: coloque 100 gramas de pimenta do reino em 1 litro de álcool durante 7 dias; dissolva 60 gramas de sabão de coco em 1 litro de água fervendo, retire do fogo e junte com a pimenta do reino; utilize um copo cheio para 10 litros de água, fazendo 3 pulverizações a cada 3 dias. Site: www.agroecologica.com.br.

linkManjericão no vaso é atacado por mosca

Tenho manjericão em vaso, mas as folhas apresentam mancha acinzentada clara com um ponto preto no centro. A aparência é de um ovo estalado. Como é um tempero, não quero usar produto químico. Já troquei vaso, terra e planta, mas o problema volta, mesmo na nova planta. Pincelei citronela, mas deu certo só por um tempo, pois as manchas voltaram. Que praga é essa e como evitá-la?

Enzo Ceccon

São Paulo (SP)

Pela descrição da carta, parece que o manjericão foi atacado pela mosca minadora (Liriomysa ssp), conhecida como larva minadora ou minador de folhas, diz a nutricionista e herborista Silvia Jeha, do Viveiro Sabor de Fazenda. Ela explica que se trata de uma pequena mosca de 1 a 2 milímetros. "As larvas se alimentam exclusivamente das folhas, fazem caminhos, tipos galerias. As folhas muitas vezes ficam amareladas, perdem a cor e o crescimento fica prejudicado." Segundo ela, o aparecimento é mais comum quando o tempo está mais seco. Uma das alternativas para combater a praga é o óleo de nim. "O nim não mata a praga, mas interrompe o crescimento das larvas e consequentemente reduz sua população." A dica de Silvia é retirar as folhas infestadas (é preciso desprezar e jogar fora). Depois fazer a aplicação. Mas ela alerta que não adianta fazer apenas uma aplicação. "Deve-se aplicar pelo menos quatro vezes, lembrando de aplicar na frente e atrás da folha. Evite pulverizar em dias chuvosos. A aplicação pode ser feita uma vez por semana", ensina. A calda pode ser feita com um colher de chá do óleo de nim para 1 litro de água. Outra dica, que tem funcionado, diz, é acrescentar nesta água um pedacinho de sabão de coco. Tel. (0--11) 2631-4915.

linkPupunheira precisa de adubação e água

Tenho uma pupunheira que solta muitos cachos, mas os frutos caem. É falta de adubo? Ou excesso de sol ou sombra?

Maria Mercedes Andrade

Manaus (AM)

Segundo a agrônoma Valéria Augusta Garcia, pesquisadora da Apta-Polo Regional Vale do Ribeira, o problema é a síndrome da queda de frutos, comum em regiões produtoras, e ocorre em diferentes fases da formação do fruto. "Até 20 dias após a abertura da inflorescência, 50% dos frutos podem cair. Já nas últimas semanas antes da maturação, a queda é pouco intensa", diz. Como não se sabe a origem da queda, Valéria dá algumas recomendações. "Os solos devem ser profundos, bem drenados e de textura areno-argilosa. A região deve ter precipitação pluviométrica média anual acima de 1.600 milímetros e temperatura média acima de 22 graus. As adubações devem ser feitas duas vezes ao ano: adubação química (40 gramas de sulfato de amônia, 50 gramas de superfosfato triplo mais 50 gramas de cloreto de potássio) e orgânica (5 quilos de esterco bovino curtido ou húmus de minhoca/planta ou 2,5 quilos de esterco de galinha curtido/planta)." Tel. (0--13) 3856-1656.

linkExcesso de adubo prejudica primavera

Tenho uma primavera roxa, plantada em vaso grande. Comprei a muda há quatro anos. Nos dois primeiros anos cresceu e deu flores, mas no ano passado flores e folhas encarquilharam. Troquei a terra e coloquei húmus de minhoca, mas o problema persiste.

Maria Aparecida da Queija

São Paulo (SP)

Segundo o produtor Luiz Kei, da Associação dos Floricultores da Região da Via Dutra (Aflord), é provável que a primavera (Bougainvillea spectabilis) esteja com excesso de adubo, o que aumenta os riscos de ataque de ácaros. "Pode ser esta a causa do definhamento da planta e da queda das folhas", afirma. Para tentar corrigir o problema, a recomendação é substituir o substrato (ou terra) por terra vermelha apenas, e jogar água. "Com isso, a primavera vai se recuperando aos poucos." Não se deve adubar a primavera, para evitar que o problema volte. "A primavera não é muito exigente em adubo, mas, depois de uns seis meses, a leitora pode adubá-la novamente, uma ou duas vezes por ano", diz Kei. Ainda conforme o produtor, não é necessário usar acaricida. "Após trocar a terra e suspender o adubo, é só esperar a planta voltar normalmente", diz, lembrando que a primavera gosta muito de sol. Aflord, www.aflord.com.br.  

linkOnde encontrar mudas de hibiscos

Vocês podem me informar onde posso encontrar mudas de hibiscos (em grande quantidade, cerca de 600 mudas) para fazer cerca viva?

Arnaldo

a1castro@terra.com.br

O leitor encontra mudas de hibiscos no viveiro Toninho Mudas, em Pindamonhangaba (SP). Cada muda de hibisco vermelho, com porte de 1 metro a 1,30 metro, custa R$ 3,50, mais as despesas de entrega. Originário da Ásia Tropical, o hibisco (Hibiscus sinensis) adapta-se bem a regiões com pleno sol e não tolera geadas. No calor, as regas devem ser regulares e generosas; em épocas mais frescas, a oferta de água pode ser reduzida. Recomenda-se, ainda, utilizar substrato comercial ou solos com boa drenagem. O viveirista Antonio Marmo da Silva Alves se dispõe a dar orientações de plantio e sobre as variedades de cores de hibiscos. Informações, www.toninhomudas.com.br ou tels. (0--12) 3642-2071 e 9707-1710.

Mais conteúdo sobre:
Agrícolacartasforumleitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.