Cartas

.

19 Agosto 2009 | 02h56

linkCitros: vários fatores influenciam a floração

Tenho um pé enxertado de poncã há cerca de seis anos, mas, nos últimos dois anos, ele não tem produzido frutos e sequer florado na época. Apesar disso, a planta está bonita e aparentemente saudável. O fazer para que dê flores e frutas?

Paulo Galasso

Bragança Paulista (SP)

A pesquisadora do Instituto Agronômico (IAC-Apta), Rose Mary Pio, informa que a floração das plantas cítricas é influenciada por uma série de fatores que, muitas vezes, fogem ao controle do produtor. Em relação à ausência de frutos, há várias possibilidades a serem consideradas, inclusive a alternância de produção, fato comum nessa planta, caracterizada por anos de grande produção e seguida de pouca ou nenhuma produção (dependendo do desgaste que a planta sofreu no ano anterior). Por isso, muitas dúvidas ficam difíceis de esclarecer, tendo em vista que há lacunas no conhecimento do seu florescimento. Existem gemas nas plantas que são vegetativas e outras reprodutivas , que não são definidas ao acaso, mas dependem de condições fisiológicas, do desenvolvimento de cada ramo e das condições ambientais. A temperatura é fator importante nesse processo e proporciona a indução do florescimento numa faixa de 13 a 15 graus (durante o dia) e de 10 a 13 graus (à noite). A temperatura máxima para promover a floração seria de 19 graus e, acima de 22 graus, já se torna ineficiente. "Ainda se questiona se a floração é induzida pelos dias curtos e pelas baixas temperaturas da estação", diz a pesquisadora. "O déficit hídrico parece ser o principal fator da floração, pois ela ocorre após o período de seca e do umedecimento posterior por chuva ou irrigação." A redução do sistema radicular também levaria à baixa produção de giberelinas e, consequentemente, ao menor florescimento. Plantas com teores excessivos de nitrogênio foliar vegetam muito mas florescem pouco, e aquelas com níveis baixos do mineral florescem com abundância, mas o pegamento é baixíssimo. Por outro lado, deficiência severa de nitrogênio resulta em floração muito pobre. Centro de Citros IAC, tel. (0--19) 3546-1399.

 

linkMangueira precisa de stress para produzir

Várias mangueiras plantadas em Miracatu (SP), com idade média de 20 anos, não produzem frutos. Gostaria de saber o motivo, pois elas são grandes e frondosas.

Ezequias Brito da Silva

Miracatu (SP)

O engenheiro agrônomo João Yoshio Murakami, da Casa da Agricultura de Vista Alegre do Alto (SP), explica que a mangueira, para florescer e frutificar, precisa passar por um stress térmico. "Em São Paulo, as baixas temperaturas de junho e julho garantem esse stress. Sem esse período frio, a mangueira não floresce", explica. Para o agrônomo, é provável que as plantas não estejam sendo submetidas a esse stress. "Se estiver havendo o stress, a ausência de frutos pode estar associada ao fato de os ramos ainda não terem idade suficiente para florescer." Segundo ele, a idade para um ramo florescer é de 4 a 6 meses. "Antes disso, não florescem." Murakami diz que, no Nordeste e em São Paulo, produtores comerciais fazem a indução floral nos pomares. A técnica consiste na aplicação de um regulador de crescimento (hormônio) no solo que antecipa a floração da mangueira e, consequentemente, a formação dos frutos. O hormônio provoca a maturação artificial do ramo sem que a planta vegete. "O leitor pode tentar fazer a indução floral, mas com acompanhamento técnico." O hormônio é vendido em lojas agropecuárias e custa cerca de R$ 200 o litro. "A quantidade aplicada é pouca e varia conforme o raio da copa da árvore." Depois da aplicação, a planta demora 90 dias para florescer. Tel. (0--16) 3287-1180.

 

linkProdutor de flores identifica espécies

Tenho em meu jardim uma árvore que floresce em cachos amarelos, uma outra folhagem que dá flores roxas e outras duas espécies que desconheço. Por fotografias, é possível identificá-las?

Sonia Carvalho

Praia Grande (SP)

De acordo com o produtor Luiz Kei, membro da Associação dos Floricultores da Região da Via Dutra (Aflord), a árvore que dá flores roxas é a Dichorisandra, conhecida pelos nomes populares de gengibre-azul ou trapoeraba-azul. É comum em regiões tropicais e subtropicais. A planta que floresce em cachos amarelos é, conforme o produtor da Aflord, a cássia, gênero que abrange cerca de 1.700 espécies. A planta com folhas achatadas e em forma de leque, conhecida por sua rusticidade, é a flor-de-leopardo, muito usada como ornamental em projetos paisagistas. E, por último, afirma Kei, a trepadeira que produz muitas flores vermelhas, envolvidas por um cálice branco, é a lágrima-de-cristo, muito usada em caramanchões e pergolados por proporcionar sombra no verão e permitir a passagem de luz no inverno. Aflord, www.aflord.com.br.

linkExcesso de adubo pode queimar planta

Tenho em casa um terraço de 6 metros quadrados, onde coloquei uma jabuticabeira-anã e uma pitangeira, plantadas em vasos de 40 centímetros de altura por 40 centímetros de diâmetro. Após quase 1 ano de plantio, as plantas parecem estar se dando bem com o ambiente. A pitangueira, inclusive, já deu frutos. Gostaria de ser orientado quanto à adubação delas, considerando que estão plantadas em partes iguais de terra comum, terra vegetal e terra adubada e limitei-me, recentemente, a adicionar um pouco de farinha de ossos. Qual é o período adequado entre adubações?

Udo Bock

São Paulo (SP)

Segundo o engenheiro agrônomo Silvio Roberto Penteado, o cultivo de frutas em vaso é uma prática pouco comum. Por isso, não há um programa ou recomendação de adubação específica para esta prática. Entretanto, ele explica que há um risco muito grande de queimar a planta com aplicação em excesso de adubos solúveis, tanto na forma química (4-14-8 ou 10-10-10), como na forma de adubos orgânicos (esterco de galinha ou húmus de minhoca). Uma recomendação geral, diz ele, é aplicar a cada quatro meses de 500 gramas a 1 quilo de esterco curtido ou de 250 a 500 gramas de húmus ou torta de mamona (curtida). "É bom começar a adubação com baixa quantidade de adubos e, se verificar bom efeito, repetir a aplicação, podendo reduzir ou aumentar a dosagem de acordo com o tamanho da planta e do vaso", ensina. "Como trabalho com agricultura orgânica, não uso adubo químico. Mas há informações na literatura sobre a aplicação de uma colher de sobremesa de adubo com a fórmula NPK 4-14-8, bem distribuído em volta da planta." Penteado destaca, porém, que se o leitor já utilizou a farinha de ossos a aplicação da torta de mamona ou do húmus pode atender às necessidades da planta. O leitor pode obter mais informações no livro Adubação Orgânica - compostos orgânicos e biofertilizantes, onde o agrônomo ensina diversas receitas de como produzir adubo orgânico caseiro. E-mail: silvio@agrorganica.com.br.

linkLeitor procura doadores de mudas

Gostaria de saber da possibilidade de doações de mudas frutíferas e ornamentais para um trabalho que desenvolvo na Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo e na Penitenciária II de Serra Azul. Realizamos trabalhos agrícolas com sentenciados beneficiados pelo regime semiaberto. Entre as atividades, há o plantio de mudas para a formação de hortas e pomares. A ideia é ajudar na recuperação dos sentenciados. Temos área grande, clima quente e água para irrigação.

Ronaldo Mazotto de Lima

rmazotto@hotmail.com

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.