Cartas

Cati tem mudas de marmelo

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 01h41

Uma amiga ofereceu-me um doce de marmelo em calda, maravilhoso. Lembro-me bem de ouvir falar em varas de marmelo para bater em crianças malcriadas. A amiga me disse que não se encontram mais marmelos no Brasil. Gostaria de saber onde posso obter mudas de marmelo.

PRISCILA FREIRE

PRISCILAFREIRE75@UOL.COM.BR

A leitora encontra mudas de marmelo japonês na Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), órgão da Secretaria de Agricultura paulista, em Campinas (SP). Cada muda, com porte médio de 60 centímetros, custa R$ 7. A Cati em Campinas informa, porém, que não há muitas mudas em estoque. Informações, tel. (0--19) 3743-3831. Outra opção é a Unidade de Produção de Sementes e Mudas da Cati em Itaberá (SP), que possui em estoque mudas de marmelo da variedade provence, que é a mais usada para o preparo de doces. Para pedidos de até 49 mudas, o preço unitário é R$ 7; de 50 a 199 mudas, cada uma sai por R$ 6 e, para pedidos acima de 200 mudas, cada uma sai por R$ 5. As plantas têm, em média, 80 centímetros de porte. Cati Itaberá, tel. (0--15) 3562-1642.

Galinha doente deve ser separada

Possuo um sítio em Jacareí (SP) onde crio galinhas caipiras. Acontece que as galinhas estão morrendo; de uma hora para outra ficam tristes, não comem, ficam com o pescoço mole e caídas no chão, como se estivessem desmaiadas. O que salva algumas é o um remédio, chamado Sanagogo. As galinhas dormem ao ar livre.

AMANDA DO PRADO AMÉRICO

AMANDAMERICO@HOTMAIL.COM

Segundo a criadora de aves Maria Virgínia Franco da Silva, do Sítio da Família, em São Paulo (SP), faltam detalhes para um diagnóstico preciso. "Mas, pelos sintomas informados, provavelmente as aves estão com problemas respiratórios e com avitaminose, que é a falta de vitaminas", afirma Maria Virgínia. Ela explica que o Sanagogo é um medicamento usado para casos de insuficiência respiratória e falta de vitamina e, como o medicamento tem dado resultados, é possível que um desses problemas esteja deixando as aves doentes. "Uma alimentação deficiente pode causar a avitaminose e a friagem, já que aves dormem ao ar livre, o que provoca problemas respiratórios." A primeira recomendação, diz a criadora, é separar as aves doentes das sadias. Outro conselho é fornecer para todas as aves um suplemento vitamínico, encontrado em casas de produtos agropecuários. As aves que já apresentam os sintomas descritos devem também ser tratadas com antibiótico, receitado por um médico veterinário. E, ainda, é preciso instalar, principalmente as galinhas doentes, em local coberto, com proteção contra frio, chuvas e vento. A leitora pode entrar em contato com a Associação Brasileira dos Criadores de Aves (ABCAves), da qual Maria Virgínia faz parte, para informar mais detalhes do plantel. No site da associação (www.abcaves.com.br) é possível deixar uma mensagem.

Ferrugem ataca pitangueira

Minha filha tem no quintal um pé de pitangueira com cerca de 8 anos e 1,8 metro de altura, plantado em área que foi parcialmente aterrada e com algum cascalho. Nos últimos três anos tem ficado bem florido, mas não tem dado frutos. Suas folhas mais antigas têm adquirido coloração amarelada e com algumas manchas (pintas) parecendo ferrugem. Que providências podem ser adotadas para planta produzir?

CELSO CADENAZZI

FLORIANÓPOLIS (SC)

A pesquisadora da Embrapa Clima Temperado, Maria do Carmo Bassols Raseira, explica que a ferrugem realmente pode atacar a pitangueira. "Mas o que tenho notado quanto à flor é que, se há uma seca na época da florada, ela não forma frutos. Não há formação de frutos também se houver muitos dias chuvosos, porque os insetos são muito importantes para a frutificação da pitangueira", diz Maria do Carmo. A ferrugem é uma doença que pode atacar folhas, flores, ramos e frutos e uma alternativa é aplicar calda bordalesa, um fungicida natural feito à base de sulfato de cobre. A calda bordalesa é feita, tradicionalmente, com 1 quilo de sulfato de cobre, 1 quilo de cal virgem e 100 litros de água. Dilui-se o cobre em 50 litros de água e a cal nos outros 50 litros. Após obter duas misturas homogêneas, despeja-se o cobre sobre a cal. O recipiente deve ser de plástico, cimento ou madeira, pois recipientes metálicos reagem com o sulfato de cobre. A cal deve ser de boa qualidade para reagir totalmente com a água. Mais informações, Embrapa Clima Temperado, tel. (0--53) 3275-8100.

Planta é conhecida como papo-de-peru

Gostaria de identificar a flor que colhi, no início deste mês, em Fartura (SP). É uma trepadeira, que foi colhida numa cerca. Envio duas fotografias para identificação.

MARISABEL S. PASSOS VIEIRA

CRUZEIRO (SP)

O especialista Luis Bacher, da Dierberger Plantas, em Limeira (SP), informa que a trepadeira da foto é chamada popularmente de papo-de-peru, mil-homens e jarra-açu.

"O nome botânico é Aristolochia gigantea", diz Bacher, acrescentando que a planta pertence à família das aristoloquiáceas e é nativa do Brasil e da América Central. "É uma trepadeira de crescimento vigoroso, com flores muito grandes e ornamentais." Site: www.fazendacitra.com.br.

Fazenda em Itu tem galos músicos

Lendo edição do "Agrícola" de 7 de maio de 2008, interessei-me pelo galo cantor Goiás, da Fazenda Capoava, em Itu (SP), de propriedade de Raul de Almeida Prado. Gostaria de saber como faço para adquirir algumas unidades.

CLOVIS DEL PEZO CORTEZ

IARAS (SP)

O plantel de galos músicos é a atração mais curiosa da Fazenda Capoava, em Itu (SP), e, segundo o proprietário da fazenda, Raul de Almeida Prado, a criação é um hobby, sem fins comerciais. "Mas o leitor pode entrar em contato para saber mais sobre a criação de galos cantores", diz Prado, que possui cerca de 60 aves. Ele explica que o canto de um galo músico é rouco, não é estridente e dura de 20 a 30 segundos. "Eles cantam cada vez melhor, pois é feito um trabalho de seleção genética no plantel. Galo que não sustenta 20 segundos de canto é descartado." A raça de galos cantores da Fazenda Capoava é de origem alemã. Além da raça berger, há no Brasil criadores das raçãs totenko, japonesa, e denisly hours, de origem turca. Raul de Almeida Prado. tel. (0--11) 7513-4147.

Leitor que contatar ornitólogo

Li a reportagem "Um jardim para beija-flores", publicada na edição de 2 de junho do "Agrícola" e gostaria de entrar em contato com o secretário de Meio Ambiente de Arceburgo (MG), Ademir Carosia.

DANIEL COSTA

SÃO PAULO (SP)

O telefone e e-mail de Ademir Carosia são (0--35) 9936-7336; ademircarosia@yahoo.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.