Casal é condenado à morte por prostituição infantil na China

Casal aliciava meninas no sudoeste da China; algumas tinham menos de 14 anos.

BBC Brasil, BBC

19 de dezembro de 2007 | 09h55

Um casal de professores foi condenado à morte na China por forçar 23 meninas, a maioria alunas das escolas em que lecionavam, a se prostituir, informou o jornal China Daily.Zhao Qingmei e o marido, Chi Yao, foram considerados culpados pelo aliciamento de 22 meninas das escolas, seis delas com menos de 14 anos, e uma menina da aldeia em que viviam. Os aliciamentos ocorreram entre março e junho de 2006 na cidade de Liupanshui. De acordo com o China Daily, o casal, que chegou a ser o mais procurado do país, foi preso em 10 de agosto depois que o Ministério Público da Segurança chinês ofereceu uma recompensa de 100 mil yuan (R$ 24 mil) a quem oferecesse pistas sobre o paradeiro dos fugitivos. Outro casal também envolvido na rede de prostituição foi condenado à prisão. Hai Long e a mulher, Li Huiyan, vão pegar 11 e 13 anos de prisão, respectivamente, e pagarão multas que, somadas, chegam a 60 mil yuan (R$ 14,7 mil). Outras 14 pessoas ligadas à rede também foram condenadas, com penas variando entre um ano de encarceramento até a prisão perpétua.De acordo com as autoridades chinesas, os membros da gangue arrecadaram cerca de 32,3 mil yuan (R$7,9 mil) com a rede de prostituição infantil.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
chinaprostituiçãocondenaçãomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.