Casal é indiciado por deixar criança em carro roubado

Bandido, ao perceber que faroto estava no veículo, abandonou o carro e ligou pra polícia em Passo Fundo

Elder Olgiari, O Estado de S.Paulo

25 de setembro de 2008 | 19h33

O delegado Mário Pezzi decidiu indiciar a mãe e o padrasto de um menino de cinco anos que foi deixado dormindo num carro levado por um ladrão na semana passada, em Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul. No inquérito, que será remetido à Justiça na semana que vem, ao final de mais algumas diligências. O titular da Delegacia de Proteção à Criança vai enquadrar o casal no artigo 133 do Código Penal, que prevê penalidades para quem abandona pessoa incapaz submetendo-a a situações em que não possa se defender. Se condenado, o casal pode ficar de seis meses a três anos na prisão. O fato que originou o inquérito ocorreu na madrugada do dia 17 de setembro. A mãe, de 22 anos, e o padrasto, de 45 anos, estacionaram um Monza na Avenida Brasil, no centro da cidade, e entraram num bar, deixando a criança no banco traseiro do automóvel. Sem que ninguém percebesse, o carro foi levado por um homem que, depois de rodar algumas quadras, viu o menino dormindo a bordo. Diante da situação, o ladrão decidiu deixar o Monza a poucas quadras do bar e, de um telefone público, contou sua história à polícia, confessando o roubo, sem se identificar. "Manda uma viatura lá e manda o pai dele pegar ele e levar para casa", pediu ao plantonista. Policiais foram ao endereço indicado e encontraram o automóvel. O menino ainda estava dormindo. O ladrão ainda não foi encontrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.