Casal Nardoni será denunciado na terça-feira, confirma MP

Na terça, às 15 horas, promotor concederá entrevista coletiva para explicar sua decisão e anunciar sua posição

da Redação, estadao.com.br

05 de maio de 2008 | 14h22

O casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá será formalmente acusado pelo assassinato de Isabella Nardoni na terça-feira, 6, confirmou o Ministério Público de São Paulo (MP-SP). Por intermédio da assessoria de imprensa do órgão, o promotor de Justiça do caso, Francisco Cembranelli, informou que apresentará denúncia à Justiça com base no inquérito policial entregue ao MP na última quarta-feira.   VEJA TAMBÉM Donos de imóveis lucram com reconstituição  'Há mais que indícios' contra o casal, diz promotor Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella   Na terça, às 15 horas, Cembranelli concederá entrevista coletiva para explicar sua decisão e anunciar sua posição sobre o pedido de prisão preventiva de Alexandre e Anna Carolina, já indiciados pelo homicídio. Após o pronunciamento de Cembranelli, o juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri, do Fórum de Santana, terá alguns dias para decidir sobre o início, ou não, de uma ação penal. Isabella foi asfixiada e jogada do 6º andar do edifício London, na zona norte de São Paulo, na noite de 29 de março.   Investigação   Exames realizados na faca e na tesoura utilizadas para cortar a tela de proteção do apartamento do casal Alexandre Nardoni, 29 anos, e Anna Carolina Jatobá, 24, no 6º andar do Edifício London, apresentam indícios de sangue, provavelmente da mão do assassino. Isso consta dos laudos do Instituto de Criminalística (IC) sobre a morte da menina Isabella, no dia 29 de março. No entanto, a exemplo de outras dez amostras retiradas pela polícia, não foi possível estabelecer identificação por DNA.   Em análise macroscópica, não foi possível nem observar a presença de nenhum material nos objetos, mas um exame mais detalhado confirmou a existência do sangue. A perícia já concluiu que o sangue encontrado na tela de proteção do quarto dos irmãos de Isabella é da menina. Os laudos necroscópicos do Instituto médico-legal (IML) ainda revelam que a maioria dos ferimentos causados à menina ocorreu antes de ela ser jogada da janela - incluindo o ferimento no pulso. Por causa da queda, a menina sofreu uma lesão na bacia e politraumatismo.

Mais conteúdo sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.