Casamentos crescem em SP e seguem alta de renda

De 2003 a 2005, número de uniões cresceu 10,7% em São Paulo, acompanhando aumento de 11,5% da renda

Carina Flosi, do Jornal da Tarde, Agencia Estado

07 de outubro de 2007 | 12h14

Agora já dá para casar. Essa frase nunca foi tão dita pelos noivos como atualmente. De 2003 a 2006, a renda do trabalhador cresceu 11,5%, e o número de casamentos em São Paulo subiu 10,7% de 2003 a 2005 (pelos últimos dados disponíveis no Estado), reforçando a tendência de que os casais - e suas famílias, que dão uma ajudinha nessa hora - estão aproveitando a estabilidade econômica para selar a tão sonhada união. No Estado de São Paulo, de 1995 até 2005, cresceu 20% o número de casamentos registrados no civil, segundo a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). No Brasil, são 750 mil uniões celebradas todos os anos.Na capital, igrejas e bufês badalados têm uma agenda lotada até 2009. E o setor comemora, desde 2003, uma alta de 15% nos negócios a cada ano, segundo José Luis de Carvalho César, organizador da Expo Noivas, a maior feira do País. De acordo com ele, os micro e pequenos empresários estão ganhando cada vez mais espaço no setor. "Hoje, eles têm mais clientes e podem contratar freelancers e colaboradores. Afinal, o casamento é muito dinâmico, exige diversos profissionais para aquelas cinco, seis horas de celebração." São boleiros, floreiros, recepcionistas, pessoas especializadas que trabalham às vezes somente nos fins de semana.

Tudo o que sabemos sobre:
casamento em SPrenda em SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.