Caso Amarildo: Beltrame pede voto de confiança sobre segurança no Rio

De acordo com secretário, policiais das UPPs estão nas comunidades para ‘conversar’; dez oficiais acusados de assassinar pedreiro estão presos

Wellington Bahnemann, da Agência Estado,

05 Outubro 2013 | 12h48

RIO - Ao comentar a prisão de dez policiais militares envolvidos na morte do pedreiro Amarildo de Souza, o secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, pediu neste sábado, 5, um voto de confiança da população às Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

"O mais importante de tudo é, se os erros e excessos foram cometidos, mostrar para a população que essas pessoas são punidas, sejam policiais, servidores públicos, civis, traficantes ou quem quer que seja", afirmou, após participar de evento no bairro do Jacarezinho, na zona norte do Rio.

De acordo com Beltrame, os policiais das UPPs estão nas comunidades "para conversar, para prestar serviços e, no diálogo, adquirir cada vez mais confiança (das pessoas)".

Na sexta-feira, dez policiais foram presos após se apresentarem ao quartel-general da Polícia Militar no centro do Rio. São acusados de crimes de tortura e da morte de Amarildo nas proximidades da UPP da Favela da Rocinha, na zona sul da capital fluminense.

O pedreiro está desaparecido desde 14 de julho, quando foi levado por policias da UPP para "averiguação".

Mais conteúdo sobre:
caso amarildo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.