Caso Chevron tem reação mista nos EUA

Os investidores da área de energia nos Estados Unidos observam com atenção a denúncia do Ministério Público Federal contra executivos da Chevron no Brasil e alguns chegam a temer que um cenário próximo ao da Venezuela comece a ocorrer no território brasileiro, apesar de analistas acharem um exagero a comparação.

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

22 Março 2012 | 03h08

Na avaliação de Christopher Garman, da agência de risco político Eurasia, em relatório distribuído a clientes que incluem investidores americanos, "não há motivação contra companhias estrangeiras de petróleo no governo brasileiro. Na verdade, a Polícia Federal e o Ministério Público estão fazendo uma tempestade sobre o vazamento, provocando um debate público no Brasil a respeito da regulação da segurança nas reservas brasileiras em grande profundidade". Segundo o analista, é um exagero dizer que existe um sentimento contra companhias de petróleo estrangeiras na administração de Dilma Rousseff.

Outros especialistas são mais céticos. "Se você começa a prender executivos, as pessoas nas companhias de petróleo como a Shell, BP (British Petroleum) e ENI com concessões no Brasil ficarão cautelosas. Neste cenário, elas não abandonarão o Brasil completamente, mas podem se retrair, retirar seus bens e esperar por tempos melhores, como na Venezuela", afirmou Eric Smith, da Universidade Tulane.

Na Bolsa de Valores de Nova York, as ações da Chevron perderam 1,07% do valor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.