Caso Madeleine: Mãe será tratada como ''suspeita''

Informação foi dada à BBC por um parente; nesta 6ª feira, polícia ouvirá o pai.

BBC Brasil, BBC

07 de setembro de 2007 | 06h09

A Polícia Judiciária portuguesa decidiu considerar formalmente a britânica Katherine McCann como suspeita no desaparecimento da própria filha, Madeleine, há mais de quatro meses em Portugal.Um porta-voz da família disse à BBC que Kate receberá nesta sexta-feira o status de "argüida", o que lhe dará o direito de permanecer em silêncio diante das perguntas colocadas pelos policiais.Na quinta-feira, ela foi ouvida como testemunha até depois da meia-noite.Antes, Kate divulgou um apelo pedindo a libertação da menina: "Ainda não é tarde demais - por favor, libertem-na ou liguem para a polícia", ela afirmou."Viemos para Portugal como uma família normal de cinco pessoas. Só queremos saber o que houve no dia 3 de maio, e queremos voltar para casa como uma família unida."Kate se tornará a segunda suspeita formal da investigação. O primeiro foi o britânico Robert Murat, que vive em Portugal. Ele não foi preso nem acusado.Nesta sexta-feira, a polícia ouvirá o pai de Madeleine, Gerry McCann. Tanto ele como Kate negam envolvimento no desaparecimento da menina de quatro anos na Praia da Luz, no Algarve.Os investigadores decidiram convocar os pais para depor depois de receber os resultados das análises feitas no quarto e nas roupas de Kate e Gerry.A imprensa portuguesa veiculou várias versões dessas análises, realizadas por um laboratório de Birmingham, na Inglaterra.A edição de quinta-feira do jornal português Correio da Manhã informou que os cães farejadores enviados pela polícia inglesa encontraram odor de cadáver nas calças e na camisa da mãe, e no animal de pelúcia que pertencia a Madeleine, com a presença de DNA da menina nos vestígios. O desaparecimento de Madeleine McCann gerou uma comoção internacional. A partir de donativos de várias personalidades, há um prêmio de 4 milhões de euros para quem der informações que conduzam à descoberta da menina.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.