Caso TAM: deputado do PSOL pedirá explicação a Jobim

O deputado Ivan Valente (PSOL-SP), que participa como convidado do sexto encontro da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo TAM JJ3054 (Afavitam), disse que deve pedir a convocação do ministro da Defesa, Nelson Jobim, para depor na Câmara. A idéia é solicitar explicações sobre o abrandamento das restrições que foram impostas para as operações no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista, logo após o acidente com o Airbus A320 da TAM, em julho do ano passado. Segundo o deputado, a única limitação que permanece refere-se à quantidade de vôos, atualmente em 33 por hora. Antes da tragédia, Congonhas chegou a operar 44 vôos por hora. Já caíram por terra iniciativas como a proibição de o aeroporto ser ponto de conexões e também de operar somente vôos com distâncias de até mil quilômetros.O PSOL, de acordo com Valente, já entrou com pedido de criação de uma Proposta de Fiscalização de Controle (PFC) na Câmara, para acompanhar os problemas aéreos do País. A PFC é um instrumento legislativo regimental, que permite um controle permanente da questão, com poderes inclusive para convocar autoridades e fazer sugestões sobre o assunto. "O que queremos é evitar que tragédias como esta aconteçam de novo. Os problemas do controle aéreo do País já eram os mesmos na época em que houve o acidente com o Fokker 100 da TAM", disse Valente.O deputado participou da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do apagão aéreo e seu partido considerou o resultado dos trabalhos muito "afável frente às evidências levantadas". O PSOL apresentou um voto em separado à CPI, pedindo, ente outras coisas, a desmilitarização do sistema aéreo nacional e a limitação das operações do Aeroporto de Congonhas.

CRISTINA CANAS, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2008 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.