Catar cria prêmio 'Nobel' da educação

A partir de 2011 serão concedidos US$ 500 mil para responsável por políticas educacionais que sirvam de modelo em escala mundial

Sergio Pompeu, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2010 | 00h00

A Qatar Foundation - braço educacional e científico do governo do Catar - vai conceder a partir de 2011 o "Nobel" da educação, um prêmio de US$ 500 mil para o responsável por projetos ou políticas que sirvam de modelo em escala mundial.

O anúncio da premiação, batizada de Wise International Award on Education, marcou o encerramento de um encontro sobre educação que reuniu 1,2 mil pessoas de mais de cem países em Doha, capital do Catar, na semana passada.

Anúncios de impacto estão virando rotina no minúsculo país do Golfo Pérsico, dono da terceira maior reserva de gás natural do mundo. Há duas semanas, a Fifa definiu o Catar como sede da Copa do Mundo de 2022. Na sexta-feira, a Qatar Foundation, capitaneada pela xeica Mozah Bint Nasser Al Missed, segunda das três mulheres do Emir do Catar e rainha de fato do país, causou furor com outro lance espetacular de marketing: pagará US$ 200 milhões ao Barcelona para ter seu logotipo na camisa do clube catalão, que nunca antes tinha aceitado patrocinador.

O senso de marketing também esteve presente na quinta-feira, no Hotel Sheraton de Doha, na divulgação do "Nobel da Educação". A alusão ao Nobel foi reforçada com depoimentos de dirigentes de instituições de ensino, a maioria delas ocidentais, e de organismos multilaterais, exibidos em um telão. "Já há iniciativas que reconhecem os responsáveis por avanços em áreas como física, matemática e medicina, mas não na educação", disse o americano J. Michael Adams, recém-eleito presidente da Associação Internacional de Presidentes de Universidades.

Pouco antes, o economista da Universidade Columbia, Jeffrey Sachs, tinha ocupado o telão para falar da importância de se investir na formação de jovens e para saudar a liderança da xeica Mozah - raro exemplo de celebridade da realeza mundial que fala de igual para igual com PhDs e conquistou reconhecimento por seu compromisso com a educação - no esforço para atingir as Metas do Milênio da Organização das Nações Unidas. Um dos convidados para o evento em Doha, Sachs lamentou ter ficado retido em Nova York em virtude de uma reunião de última hora convocada pelo staff do presidente americano Barack Obama, de quem é consultor.

O vencedor do prêmio será anunciado em novembro, na terceira edição do World International Summit on Education, ou Cúpula Internacional em Educação - a sigla do evento, Wise, toma emprestado o termo em inglês para sábio.

Regras. Como no Nobel, o processo de escolha será baseado em indicações, submetidas inicialmente a um júri de 11 pessoas. Na etapa decisiva, 5 jurados farão a escolha do vencedor.

De acordo com Abdullah Al-Thani, os jurados serão pessoas com serviços relevantes prestados à causa da educação. A elite do setor no mundo já é parceira da Qatar Foundation há algum tempo, como mostra a negociação com o Barcelona.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância e a Adolescência (Unicef), ao qual o clube catalão tinha cedido gratuitamente o espaço na sua camisa, um dos "outdoors" mais cobiçados do mundo, aceitou reduzir sua exposição em favor da Qatar Foundation.

A generosidade foi considerada um reconhecimento ao trabalho da xeica, cujo compromisso com projetos sociais é expresso tanto em palavras - ela roubou a cena no anúncio da Fifa com um discurso articulado em favor do futebol como elemento de formação dos jovens - quanto no apoio financeiro que dá a iniciativas de ONGs, governos e organismos internacionais, como o Unicef.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.