Cayenne faz Porsche dobrar vendas no Brasil

Num ano em que o mercado de automóveis derrapou, com queda de 4,1% em relação a 2002, pelo menos uma empresa mais que dobrou suas vendas. No País do carro popular, a Porsche vendeu no ano passado 76 modelos importados, ante 35 no período anterior. Os carros da marca custam entre R$ 250 mil e R$ 760 mil. O número de negócios pode parecer insignificante diante de um mercado que consumiu 161,8 mil automóveis mas, pelo preço do carro mais vendido da marca, o Cayenne, seria possível comprar 30 unidades do Gol, o de maior venda no Brasil. A chegada desse modelo, no ano passado, foi o principal responsável pelo aumento das vendas da Porsche, que antes só oferecia versões esportivas. O Cayenne, utilitário esportivo que no País custa R$ 325 mil (na versão S) e R$ 530 mil (turbo), vendeu. em um ano, 25 mil unidades na Europa, Estados Unidos e outras regiões. As versões mais caras, com vários opcionais, têm lista de espera de seis meses, informou o diretor mundial de vendas da alemã Porsche, Andreas Offermann, que está em visita ao País. O mercado brasileiro, disse ele, é o terceiro maior para a marca na região das américas, excluindo EUA e Canadá. Perde para México e Porto Rico. "O potencial do Brasil é enorme e queremos vender mais aqui." De acordo com Regis Schuch, diretor da Stuttgart Sportcar - representante local da Porsche - as vendas devem passar de 100 unidades neste ano. Com apenas uma revenda em São Paulo, o grupo vai inaugurar no segundo semestre sua primeira filial no Rio de Janeiro.

Agencia Estado,

22 de janeiro de 2004 | 11h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.