CD faz 25 anos e enfrenta queda nas vendas

Formato foi criado na década de 80 em trabalho conjunto da Philips e Sony

BBC

17 Agosto 2007 | 08h01

Há exatos 25 anos o primeiro compact disc ou CD foi produzido em uma fábrica da Philips, na Alemanha, iniciando uma revolução global na música. Mais de 200 bilhões de CDs foram fabricados no mundo todo desde então e o formato continua dominando o mercado apesar do crescimento do número de pessoas que baixam música pela internet.    Veja galeria de imagens da evolução do CD  Assista a vídeo com a história do CD (em inglês)    Veja também:  Indústria fonográfica processará piratas digitais no Brasil Gravadoras querem usar redes sociais como pontos-de-venda O CD foi desenvolvido em conjunto pela Philips e a Sony e o disco se transformou também em um método de armazenamento importante para usuários de computador. O primeiro CD de música produzido na época foi The Visitors, do grupo Abba. "Quando a Philips se uniu à Sony para desenvolver o CD, nosso primeiro alvo era conquistar o mundo para o formato", disse Piet Kramer, que era membro do grupo ótico da Philips durante o desenvolvimento do disco. "Fizemos isso colaborando abertamente, concordando com um novo padrão. Para a Philips, esta inovação aberta era uma nova forma de agir e funcionou", acrescentou. Kramer afirmou que as companhias jamais tinham imaginado que as indústrias da computação e do entretenimento também iriam optar pelo CD como um sistema de armazenamento de conteúdo. As duas companhias iniciaram os trabalhos no novo formado em 1979 e tinham como objetivo um disco que pudesse conter uma hora de áudio. A capacidade deste disco foi estendida para 74 minutos para conseguir acomodar uma performance completa da 9ª Sinfonia de Beethoven. O primeiros CDs colocados no mercado, em novembro de 1982, eram pricipalmente de música clássica. Na época acreditava-se que os amantes da música clássica teriam mais dinheiro para comprar o novo formato do que os fãs de rock e música pop e a Philips pensou que estes consumidores de música clássica estariam mais dispostos a investir nos aparelhos que reproduziam os discos, na época muito caros. Os primeiros modelos lançados custavam o equivalente, hoje, a US$ 1,9 mil (cerca de R$ 4,12 mil). "Quando o pianista chileno Cláudio Arrau gravou um dos primeiros CDs para a Polygram descobrimos que ele estava gemendo e ofegando enquanto tocava. Antes, no vinil, você não ouvia, mas no CD (o som) era cristalino", disse Frank van den Berg, um ex-membro da força-tarefa de desenvolvimento de CDs para a Polygram. Nos últimos dez anos as vendas de CDs caíram no mundo todo enquanto que o número de vendas de músicas por downloads está crescendo rapidamente. Segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês), as vendas digitais serão responsáveis por 25% de toda a venda de música no mundo até 2010. As vendas de CDs na Grã-Bretanha, por exemplo, caíram 10% na primeira metade de 2007. As compras de música pela internet, por outro lado, cresceram 50%.

Mais conteúdo sobre:
CD Música Música digital MP3

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.