Ceasa lucra com coleta seletiva

Entreposto de Campinas produz 685 toneladas de lixo por mês. A maioria, resíduo orgânico que virará adubo

Rose Mary de Souza, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2007 | 03h51

Folhas de legumes, restos de frutas e verduras, talos de flores e plantas se transformam em adubo orgânico na Ceasa Campinas (Centrais de Abastecimento de Campinas S.A.), o quarto maior entreposto de abastecimento do Brasil em volume de comercialização de hortaliças, frutas e legumes.Por causa da ampliação da coleta seletiva e do adubo produzido no primeiro semestre, a partir de janeiro de 2008 será firmado um convênio com o Departamento de Limpeza Urbana (DLU) da Prefeitura de Campinas (SP), que permitirá fazer a compostagem de material orgânico no Aterro Sanitário Delta A. Cada 10 toneladas de material orgânico enviadas pela Ceasa resultarão em um repasse de 1 tonelada de adubo para ser utilizado em áreas verdes do município.Segundo a assessora ambiental da Ceasa, Adriana Nunes Campos, a coleta seletiva no entreposto resulta em trabalho e renda para 19 pessoas. A Cooperativa Unidos da Vitória funciona dentro da Central e separa o lixo comum do material que pode ser reaproveitado. ''''Há basicamente três tipos de lixo na Central: o orgânico, a madeira e outros, como papel, papelão, plástico, vidro e metal'''', diz.REAPROVEITAMENTOA introdução da coleta seletiva resultou, só nos primeiros seis meses de 2007, num aumento de 16 vezes no reaproveitamento da madeira (média de 49 toneladas por mês). Parte foi reutilizada e outra vendida para indústrias que usam caldeiras. A média mensal de papel coletado foi de 15 toneladas e 1 tonelada de plástico, ou 38% a mais no volume reciclado.O entreposto produz 685 toneladas de lixo por mês, sendo que 78% desse volume é resíduo orgânico e 22% de material reciclável (10% é madeira e 8% de papel, vidro e plástico).Conforme a assessora, além de reduzir o impacto ambiental, o reaproveitamento de material reciclável representa economia de 12% no valor do rateio dos permissionários, com a redução do volume de lixo transportado para o aterro sanitário. Na Ceasa são comercializadas, por ano, 609 mil toneladas de hortaliças, legumes e frutas e 47 mil toneladas de flores e plantas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.