Celulares chegam ao longínquo Butão

O Butão só foi notícia uma vez, quando a televisão chegou por lá, em 1999. Agora, a longínqua nação de tradições budistas, espetada no Himalaia, entre a China e a Índia, está de novo nas páginas dos grandes jornais do mundo. Semana passada, a Butão Telecom anunciou aos habitantes de Timpu, a capital, que eles estavam ingressando na era dos mobiles. E apresentou-lhes as maravilhas proporcionadas por um celular. Foi um auê geral. Afinal, a maioria ainda se comunica por meio do código Morse. ?O Butão terá melhor qualidade de vida, as coisas acontecerão de maneira diferente, estaremos aptos a fazer nossos negócios com mais rapidez e eficiência?, festejou, Sangey Tenzing, diretor da Butão Telecom. Os preços da novidade ainda são salgados mas a classe mais abastada já aderiu a ela. Os comerciantes estão eufóricos. Segundo eles, houve um grande procura pelo produto, bem acima de suas expectativas. O rei Jigme Singye , governante do Butão, acredita que os celulares elevarão os patamares da Felicidade Nacional Bruta, índice ?oficial? de desenvolvimento do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.