Cenário nacional de alianças para campanha de Dilma é positivo, diz Berzoini

O conjunto de alianças nacionais para a campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff foi avaliado como “positivo” em reunião do diretório da sigla nesta sexta-feira, afirmou o ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini.

REUTERS

20 de junho de 2014 | 16h35

Segundo o ministro, durante o encontro preparatório desta sexta, petistas também acertaram o tom da convenção nacional do partido, no sábado, quando deve ser formalizada a candidatura de Dilma, reforçando a atuação de aliados e apostando num discurso de maior participação das siglas que participam da coligação.

“É uma avaliação positiva das alianças, a partir do que nós fizemos de trabalho nos últimos quatro meses, para buscar justamente ter um amplo leque de alianças em torno da presidenta Dilma”, disse Berzoini a jornalistas, após a reunião do diretório.

“(vai ter o) Tom de convenção tradicional. De expressar os eixos políticos da campanha. A importância da ampla aliança, e principalmente reforçar a nossa perspectiva de acelerar e ampliar as mudanças que o Brasil precisa e que têm sido conduzidas tanto pela presidenta Dilma como foram anteriormente pelo presidente Lula”, avaliou o ministro.

No sábado, o lançamento oficial da candidatura de Dilma deve ocorrer de maneira simbólica, ocasião em que serão dadas pistas da estratégia política da campanha. Petistas também têm insistido na estratégia de comparação das gestões petistas – de Dilma e do ex-presidente Lula – e tucanas – do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

(Reportagem de Maria Carolna Marcello)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAPTBERZOINI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.