Centenário começa hoje para Ronaldo

Fenômeno usa rodadas finais para chegar em 2010 bem fisicamente

Fábio Hecico, O Estadao de S.Paulo

25 de outubro de 2009 | 00h00

Ele corre, pede a bola, recebe, e faz o que mais gosta: o gol. No lance seguinte, repete a cena. Ronaldo esbanja disposição, treinando como menino. Hoje, diante do Cruzeiro, às 18h30, no Pacaembu, o Fenômeno estará em campo para melhorar o desempenho ofensivo do time - anotou apenas 39 gols. Sem ambições no Campeonato Brasileiro, a equipe usará as oito rodadas restantes como pré-temporada antecipada para sua principal estrela, visando um começo de 2010, ano do centenário corintiano, em alto nível físico.

"Não é exatamente uma pré-temporada. A gente está identificando os problemas para saber exatamente o que fazer em janeiro", afirma o centroavante, confiante em fechar bem uma temporada na qual desfalcou o time três vezes por contusões: leve lesão muscular, fratura na mão esquerda e por causa de tendinite no joelho direito. "Dá tempo de voltar à forma antiga, mas é difícil. Eu tenho treinado muito, feito muito trabalho físico. Espero estar bem para estes últimos oito jogos."

Ronaldo não esconde que sofreu por causa das paradas. Ganhou peso e perdeu ritmo de jogo bem no momento no qual começava a embalar - vinha de sete jogos seguidos até a fratura na mão diante do Palmeiras.

Agora, corre contra o tempo para entrar em forma e para manter viva a promessa de marcar 30 gols na temporada. Ou, ao menos, chegar perto dela. Faltam 11 gols em oito jogos. "Estou longe do que projetei. Com as lesões, ficou difícil. Mas..."

O adversário desta tarte traz boas lembranças a Ronaldo. Foi diante do Cruzeiro, no primeiro turno, o duelo no qual fez seu primeiro gol fora de casa. E que fez uma de suas melhores partidas distante do Pacaembu. Naquela ensolarada tarde de domingo, deu passe para Jorge Henrique abrir o placar e, antes de fazer o seu, ainda desperdiçou um pênalti ao apostar na paradinha e parar em Fábio.

A confiança em Ronaldo é tão grande que, em alguns momentos dos treinos da semana, ele recebeu recomendação de Mano Menezes para se poupar. "Em termos de treino, podemos até ter um pouco de calma com ele, pois já mostrou tantas vezes no jogo que decide", diz Mano. "A única coisa que queremos é que ele esteja no melhor (fisicamente) possível, pois sua chance de render é grande."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.