Centro de SP lidera em roubo e periferia em assassinato

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou ontem pela primeira vez na internet os dados de criminalidade por distrito policial (DP) na capital. Os números nos 93 DPs do município seguem tendência histórica e registram concentração de assassinatos na periferia e de crimes contra o patrimônio nas áreas mais centrais.

AE, Agência Estado

16 de abril de 2011 | 07h51

Conforme os dados, a periferia da zona sul se consolida como a região mais violenta da cidade, apesar de registrar taxas muito menores que em anos anteriores. Os distritos do Parque Santo Antônio (17 vítimas), do Campo Limpo (11) e do Capão Redondo (9), todos na zona sul, ocupam os três primeiros lugares no ranking de homicídios.

Os distritos de Santa Ifigênia e Sé, no centro, lideram o ranking de roubos. São lugares de comércio intenso e tiveram, respectivamente, 769 e 666 casos. Os bairros de periferia, no entanto, também apresentam taxas elevadas. Capão Redondo, na zona sul, aparece logo em terceiro lugar, com 623 casos.

Ao longo do ano, o governo do Estado pretende divulgar mensalmente os índices de criminalidade. "A divulgação passa a ser mensal e por distrito policial. São 93 distritos na capital e mais de 1.300 em todo o Estado. É transparência absoluta", disse ontem o governador Geraldo Alckmin (PSDB). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
crimesdadosSPcentroperiferia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.