Cepal vê retração de 1,9% da A.Latina e de 0,8% do Brasil

A economia da América Latina deve se contrair 1,9 por cento em 2009 em decorrência da crise global, numa queda mais profunda que a de 1,7 por centoprevista anteriormente, informou nesta quarta-feira a Comissão Econômica das Nações Unidas para América Latina e Caribe (Cepal).

REUTERS

15 Julho 2009 | 12h37

Mas a Cepal avaliou em um estudo que haverá recuperação da atividade até o fim deste ano e que as economias da região crescerão 3,1 por cento em 2010.

Para o Brasil, maior economia latino-americana, a Cepal projeta retração do Produto Interno Bruto (PIB) de 0,8 por cento em 2009 e expansão de 3,5 por cento em 2010.

O México, por sua vez, terá o pior desempenho da região, com contração de 7 por cento este ano. Já em 2010, a economia do país deve crescer 2,5 por cento.

A economia da Argentina deve apresentar crescimento de 1,5 por cento em 2009 e de 3,0 por cento em 2010.

No ano passado, o PIB da América Latina e do Caribe cresceu 4,2 por cento.

(Reportagem de Rodrigo Martínez)

Mais conteúdo sobre:
MACROCEPAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.