Cerca de 100 pessoas participam da 'Marcha das Vadias' em SP neste sábado

Manifestação tem como objetivo alertar o abuso sexual praticado contra as mulheres

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

26 Maio 2012 | 14h33

SÃO PAULO - Cerca de 100 pessoas participam da Marcha das Vadias em São Paulo, na tarde deste sábado, 26, com o objetivo de chamar a atenção da sociedade contra todo tipo de violência contra as mulheres, seja verbal, física ou sexual, de acordo com o movimento.

Além de São Paulo, outras cidades do País, entre elas Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, e Brasília participam do movimento neste sábado. Segundo a Polícia Militar, o grupo saiu da Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, por volta das 14 horas em direção à Rua Augusta, ocupando uma faixa de rolamento da via.

Segundo informações da Agência Brasil, a marcha defende ainda o combate a toda forma de violência e abuso sexual contra meninas e mulheres e prega a diversidade sexual. A Marcha das Vadias conta com apoio de várias entidades feministas, como a Associação de Mulheres Brasileiras (AMB).

A primeira Marcha das Vadias ocorreu em Toronto, no Canadá, no ano passado, organizada por estudantes da universidade local, a partir da declaração de um policial. Ele afirmou, em palestra, que o fato de as mulheres se vestirem como "vadias" poderia estimular o estupro. Neste sábado, além de Toronto, a marcha ocorre no Brasil, em cidades como Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, São Paulo, São Carlos (SP) e Sorocaba (SP).

No Rio, estava prevista a realização de um protesto em frente à 12ª Delegacia de Polícia, em Copacabana, em alusão ao policial canadense que deu origem ao movimento. Além disso, devem ocorrer manifestações culturais na Praça do Lido. A organização da marcha do Rio esperava mais de mil participantes neste sábado, superando o número registrado no ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.