Cerca de 97% dos reajustes salariais repõem INPC no 1o semestre

Cerca de 97 por cento das negociações salariais feitas no primeiro semestre deste ano obtiveram reajustes iguais ou acima da inflação, segundo balanço do Dieese divulgado nesta quinta-feira.

REUTERS

26 de agosto de 2010 | 15h23

Foram avaliadas 290 negociações salariais em comparação ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do IBGE acumulada desde o último reajuste.

"Trata-se de um desempenho melhor que o obtido pelas mesmas 290 unidades de negociação nos anos de 2008 e 2009, quando o percentual de negociações com reajustes iguais ou superiores ao índice foi de, respectivamente, 87 e 93 por cento", destacou o Dieese.

"A melhora no resultado dos reajustes em 2010 frente ao observado nos dois anos anteriores é um indicativo do bom momento por que passa a negociação coletiva brasileira, em sintonia com a evolução dos indicadores econômicos do país."

O levantamento mostrou ainda que, na indústria, apenas 2 por cento dos reajustes ficaram abaixo do INPC no primeiro semestre. Nos dois anos anteriores, esse percentual chegou a quase 9 por cento.

No comércio, apenas uma das 37 unidades de negociação acompanhadas (3 por cento) apresentou reajuste insuficiente para a reposição das perdas inflacionárias.

O setor de serviços foi o que apresentou a maior proporção de reajustes abaixo do índice, mas o Dieese acrescentou que também neste caso houve redução no número de negociações que não conseguiram recompor o poder de compra. Cerca de 4 por cento dos reajustes do setor ficaram abaixo da inflação.

(Texto de Daniela Machado)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROSALARIOSDIEESE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.