CET reduz tempo de remoção de caminhão parado em SP

Serviço é uma das medidas anunciadas para reduzir o impacto de ocorrências como tombamento de caminhão

Vitor Sorano, do Jornal da Tarde,

20 Novembro 2008 | 10h03

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) reduziu para menos da metade o prazo para que as empresas de remoção de caminhões parados nas vias cheguem até o local do incidente. O serviço é uma das medidas anunciadas no início deste mês para reduzir o impacto negativo no trânsito de ocorrências como o tombamento de um veículo de carga. No fim de outubro, um caminhão interditou a Marginal do Tietê por 14 horas.  O credenciamento das empresas interessadas começou nesta semana e é permanente. A idéia da CET é ter, espalhados pela cidade, caminhões-pipa, basculantes, guinchos, guindastes e minicarregadeiras cadastradas para atuar nas ocorrências. Os serviços devem ser disponibilizados 24 horas. Após um aviso, a equipe cadastrada terá 30 minutos para chegar ao local, quando o acidente for na área do rodízio - delimitada pelas vias do minianel viário. Fora disso, o prazo máximo é de 45 minutos. Os intervalos anteriormente eram de 75 e 120 minutos, respectivamente. A alteração foi feita um dia após o início do credenciamento. A CET alega erro. Apesar da redução, a correção incluiu uma ressalva antes inexistente, que abre brecha para a aceitação de intervalos maiores. O novo texto fala em descredenciamento da empresa que descumprir os intervalos, mas inclui a frase "salvo se a justificativa fática for aceita pela CET". A companhia afirmou que os novos prazos não vão inviabilizar o credenciamento. "O interesse pelo edital tem sido grande. Os prazos são viáveis." Os custos do serviço serão cobrados da empresa responsável pelo veículo acidentado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.