Chacina deixa oito mortos em cidade do Quênia, diz Cruz Vermelha

Pistoleiros mataram oito pessoas nesta quinta-feira em um restaurante da cidade queniana de Garissa, segundo a Cruz Vermelha.

Reuters

18 de abril de 2013 | 20h20

O Quênia registra vários atentados com granadas e pistolas desde que enviou soldados à vizinha Somália, no fim de 2011, para perseguir rebeldes da Al Shabaab ligados à Al Qaeda.

Embora a onda de ataques em Nairóbi, Mombaça e Garissa tenha perdido força nas últimas semanas, o novo incidente mostra que o recém-empossado governo do presidente Uhuru Kenyata terá de lidar com a insegurança.

A Cruz Vermelha queniana disse pelo Twitter que oito pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas e foram hospitalizadas.

Charlton Mureithi, chefe da polícia regional, disse que a autoria e os motivos da chacina ainda estão sob investigação.

Em fevereiro, o grupo islâmico somali Al Shabaab, que controla grande parte da Somália, disse que o Quênia enfrentaria uma guerra "longa e dolorosa" se mantivesse sua campanha militar contra os militantes.

(Reportagem de Abdisalan Ahmed)

Tudo o que sabemos sobre:
QUENIAATENTADOCHACINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.