Alex Falcão/Futura Press
Alex Falcão/Futura Press

Champignon será sepultado na terça-feira, no mesmo cemitério de Chorão

Corpo foi velado nesta segunda-feira, em Santos; apenas familiares e pessoas próximas ao músico puderam comparecer no local, que estava vigiado por seguranças

ROBERTO NASCIMENTO, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2013 | 19h05

O músico Champignon, ex-integrante da banda de hardcore Charlie Brown Jr, encontrado morto com um tiro na cabeça na madrugada desta segunda-feira, 9, será sepultado na terça-feira, 10, às 15h, no Cemitério Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos, o mesmo de Chorão, vítima de overdose de cocaína em março. O corpo de Champignon foi velado no Salão Nobre do Memorial Necrópole Ecumênica, localizado no bairro do Marapé, em Santos. A cerimônia ficou restrita a familiares e pessoas muito próximas do músico. Fãs e simpatizantes do artista não tiveram autorização para entrar no local, já que um grupo de seguranças impedia a entrada de pessoas que não tivessem uma pulseira de identificação.

Segundo informações da delegada Mileana Suegama, do 89º DP, a polícia trabalha com a possibilidade de suicídio. A arma, uma pistola de calibre .38, teria sido disparada duas vezes pelo músico – a primeira em direção ao chão, como teste, e a segunda apontando para o lado direito da cabeça.

Ele iniciaria este mês a turnê Chorão Eterno com o grupo A Banca, formado por ex-integrantes do Charlie Brown Jr. após a morte do cantor Chorão, vítima de overdose de cocaína em março. Nascido em Santos, Champignon participou da formação original do grupo de hardcore nacional, que chegou ao ápice nos anos 90 e encerrou atividades em 2005, após brigas entre Chorão e os outros membros.

Cláudia Campos, mulher de Champignon, está grávida de cinco meses e foi internada na segunda-feira em estado de choque. Segundo a polícia, ela contou que discutiu com o marido antes de voltar para casa, durante um jantar com os amigos no domingo à noite, mas afirmou que o músico não era agressivo nem usava drogas ou medicamentos.

O casamento com Cláudia era o segundo de Champignon, que deixa uma filha de 7 anos. /COLABOROU ZULEIDE DE BARROS

Mais conteúdo sobre:
Champignonmorteenterro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.