Divulgação
Divulgação

Charlie Trotter vai fechar seu restaurante

Charlie Trotter, o maior nome da gastronomia de Chicago nos anos 80 e 90, anunciou que vai fechar seu restaurante homônimo no final de agosto.

Olívia Fraga - O Estado de S.Paulo,

04 Janeiro 2012 | 19h56

Seria a ruína do cozinheiro que fez o mundo incluir Chicago na rota dos restaurantes mais importantes do mundo? Ele insiste que não. Diz que fecha o restaurante para realizar o sonho de estudar filosofia, política e viajar. Quem sabe abrir outra casa daqui a alguns anos.

Pioneiro na reformulação da culinária norte-americana, Trotter fez de seu restaurante um celeiro de ideias e a melhor escola da cidade para chefs então aspirantes, como Grant Achatz, chef do Alinea e do Next.

O restaurante de Charlie Trotter foi o primeiro no país a oferecer um tipo de gastronomia "à europeia", servindo menus-desgustação temáticos com ingredientes sazonais, comprados de agricultores locais.

Nos anos 90, Trotter virou porta-voz da "raw food", baseada em grãos, brotos, leite de castanhas e alimentos secos em um desidratador. Nos últimos anos, perdeu relevância e foi ultrapassado pelos seus pupilos Grant Achatz, Homaru Cantu (do Moto), Guiuseppe Tentori (do Boka) e Graham Elliot (do Graham Elliot). Enquanto os chefs ganhavam a TV, o perfeccionista Trotter focava em sua cozinha de acento afrancesado, preços altos e salão chique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.