Chávez: Campanha não vai distanciar Cuba da Venezuela

Após conversa por telefone com Raúl Castro, venezuelano diz que Fidel é o comandante.

Claudia Jardim, BBC

24 Fevereiro 2008 | 20h25

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou neste domingo que existe uma "campanha internacional" para enfraquecer as relações com Cuba, mas que ele e o novo presidente cubano, Raúl Castro, vão continuar unidos."Já começou a campanha internacional tentando fazer as pessoas acreditarem que entre Raúl e eu há um distanciamento. Não vai mudar nada. O que vamos continuar é unindo, porque somente unidos poderemos sair vitoriosos. E esse é o século da vitória", disse Chávez. Pouco depois de ser eleito chefe do Conselho de Estado de Cuba, Raúl Castro participou por telefone de uma conversa com o presidente Chávez no programa Alô Presidente. Chávez e Raúl começaram a conversa cantando uma música sertaneja, considerada um dos hinos da Venezuela. Ao terminar a ligação telefônica com Raúl, Chávez negou que as relações entre Cuba e Venezuela se distanciariam sob a gestão de Raúl. CompromissoO presidente venezuelano, "ratificou seu compromisso" com a revolução cubana e disse que Fidel continua sendo "o comandante". Já Raúl prometeu breves discursos. "Estamos muito felizes agora que você está a frente desta responsabilidade que Fidel teve nas suas mãos durante meio século, ajudado por você, por tantos camaradas e por esse povo", disse. "Ratifico meu compromisso pleno, o do povo venezuelano, da revolução bolivariana, contigo, com Fidel, com a revolução cubana, com o povo cubano. Pátria, socialismo ou morte", disse Chávez, ao iniciar a conversa com Raúl.Raúl, que asssumiu o poder interinamente há um ano e meio, desde o afastamento de Fidel, agradeceu ao presidente venezuelano. "Muito obrigado, presidente. Fidel está te vendo nesse momento e se não te viu na primeira etapa é porque estava me vendo. Fidel é o mais fiel seguidor de tuas palavras, que não são poucas, e ele não perde quase nenhuma", disse Raúl. Chávez, como Fidel, são conhecidos por longos e duradouros discursos. Raúl, entre risadas, prometeu ser comedido.'Mais inteligentes'"Nenhum discurso meu dura mais de uma hora. Isso porque Fidel e o presidente da Venezuela são mais inteligentes que eu e têm mais coisas a dizer", disse Raúl.Além da eleição de Raúl, o Parlamento cubano também designou ao cargo do primeiro vice-presidente, ao médico José Ramón Machado Ventura, de 78 anos, um integrante da velha guarda do partido Comunista de Cuba e um dos remanescentes do grupo revolucionário original. Minutos antes, o presidente venezuelano afirmara que a eleição em Cuba seria realizada "sem trauma de nenhum tipo" e afirmou que Fidel continuará a frente da transição no país, que a seu ver, começou há 49 anos, quando Castro derrotou o regime de Fulgêncio Batista. "A transição em Cuba comecou há 49 anos, precisamente quando o capitalismo dominava, quando Cuba era uma colônia e passa a ser a Cuba socialista. Essa transição continuará em processo, sempre com Fidel à frente", afirmou Chávez. "Fidel camarada, te mando um abraço, você continua sendo 'o comandante'. Viva Fidel, viva Raúl e viva Cuba!", disse. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.