Chávez culpa 'burguesia' por problemas econômicos na Venezuela

O presidente Hugo Chávez culpou especuladores "burgueses" pela inflação galopante da Venezuela e pelo bolívar cada vez mais fraco, e prometeu ação forte nos próximos dias para controlar a economia do país membro da OPEP.

ANDREW CAWTHORNE, REUTERS

09 de maio de 2010 | 13h44

"Precisamos parar com isso agora. A burguesia não ouve os apelos de sua consciência. Vamos agir com mão firme", disse o socialista venezuelano em uma reunião de gabinete transmitida pela televisão no sábado, em uma resposta familiar aos tempos de dificuldade econômica .

"Temos de esmagar a especulação."

Já em recessão e prevista para ser a única nação da América Latina com um crescimento negativo em 2010, a economia da Venezuela trouxe mais notícias ruins nesta semana com a maior inflação mensal nos últimos anos , 5,2 por cento.

Derrubando os aumentos de preços e causando distorções em toda a economia, o dólar tocou os 8,0 bolívares no mercado paralelo de livre flutuação. Isso foi quase o dobro da taxa oficial principal de 4,3 bolívares e o triplo do nível de 2,6 do governo para as importações essenciais.

Chávez, que agora se diz marxista e fez uma carreira política calcada em ataques as elites tradicionais da Venezuela, disse que os ricos estavam se aproveitando de um recente aumento do salário mínimo, e também queriam lhe causar problemas antes da eleição legislativa em setembro.

"Não tenho dúvidas de que há um componente especulativo e político elevado" na inflação na Venezuela, disse.

"Os burgueses estão muito envolvidos no funcionamento da economia. Eu os alerto: não seremos jogados de um lado para o outro ... Fazemos um esforço para elevar os salários ... e imediatamente os capitalistas aumentam tudo, comida, transporte, roupas . Eles estão tentando causar problemas e não vamos permitir isso".

Tudo o que sabemos sobre:
CHAVEZBURGUESIAECONOMIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.