Chávez dá novo prazo para 'prova de vida' de reféns das Farc

Presidente venezuelano diz, na França, que líder do grupo enviará provas até fim do ano.

Daniela Fernandes, BBC

20 de novembro de 2007 | 14h55

Em visita à França, o presidente venezuelano Hugo Chávez declarou nesta terça- feira que as Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) prometeram enviar até o final do ano uma prova de que a senadora franco-colombiana Ingrid Betancourt está viva.A declaração foi feita no Palácio do Eliseu, logo após o encontro de Chávez com o presidente francês Nicolas Sarkozy. Segundo o presidente venezuelano, "o líder das Farc, Manuel Marulanda, prometeu em uma carta fornecer uma prova de vida de Ingrid Betancourt e dos outros reféns da guerrilha até o final do ano".Apesar de atuar para obter a libertação da ex-senadora, Sarkozy não comentou a declaração. Ingrid Betancourt foi seqüestrada pelas Farc em fevereiro de 2002. As últimas imagens dela viva datam de meados de 2003.Chávez havia dito que esperava trazer à França provas de que Betancourt continua viva. Em uma entrevista ao jornal Le Figaro, há menos de uma semana, ele declarou que esperava "dar boas notícias ao presidente Sarkozy".Ao chegar a Paris, na noite de segunda-feira, Chávez afirmou que ainda não dispõe de imagens de vídeo que comprovariam a vida de Betancourt."Lamentavelmente, ainda não temos a prova de que ela esteja viva", afirmou o presidente venezuelano na noite de segunda-feira. "Mas sabemos que Manuel Marulanda, o chefe das Farc, ordenou que as provas nos sejam enviadas."O governo da Colômbia estipulou um prazo até 31 de dezembro para que o processo de mediação do presidente venezuelano com as autoridades colombianas e as Farc tenha resultados concretos.Chávez vem atuando há três meses como mediador para obter um acordo permitindo que 45 reféns (incluindo Ingrid Betancourt e três americanos) sejam soltos em troca da libertação de 500 membros da guerrilha.A previsão de Chavez de receber das Farc elementos que comprovem que Betancourt continua viva coincide, portanto, com o prazo dado pelas autoridades colombianas ao presidente venezuelano para que ele consiga obter um acordo.O anúncio da visita de Chávez à França havia suscitado esperanças na família da senadora, que esperava finalmente obter uma prova de que Betancourt continua viva.A família foi recebida nesta terça-feira por Sarkozy e também se encontrou com o presidente venezuelano.Chávez declarou na noite de segunda-feira, em Paris, que o presidente colombiano Álvaro Uribe o autorizou a se encontrar com o chefe das Farc, sob certas condições, não detalhadas.O presidente venezuelano parte da França na noite desta terça-feira com destino a Portugal.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.