Chef Simon Lau vai torrar café

Foi com a sorveteira que trouxe da Dinamarca que o nórdico Simon Lau preparou um sorvete de roquefort que virou coqueluche este ano no Paladar – Cozinha do Brasil. Agora, o chef do restaurante Aquavit (61- 3369-2301), em Brasília, que já tinha causado alvoroço na primeira edição do evento ao trazer uma baunilha-banana do cerrado goiano, está hipnotizado por outra máquina: uma torrefadora da marca Gene Cafe que comprou na loja Risteriet, em Copenhague. "Lá está muito na moda torrar o próprio café e muitos restaurantes estão aderindo", conta Simon. Durante recente visita ao país ele adquiriu a torrefadora e aprendeu a usá-la em um curso. No Aquavit, trabalha com o método extração francesa. E como é que Simon Lau gosta de seu café? "Uma coisa é meu gosto, outra, o dos clientes", se esquiva. Mas sintetiza: "Brasileiro gosta do grão bem torrado, né? Eu, de torradinho. Quero trabalhar com diferentes grãos. Estou usando um aqui de Brasília mesmo. Na semana que vem, visito uma fazenda em Minas Gerais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.