Chefe da OEA vai a Honduras para dar ultimato, diz Zelaya

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, disse na quinta-feira que o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) viajará ao país para dar um ultimato ao governo interino e não para negociar.

REUTERS

02 Julho 2009 | 17h20

O chefe da OEA, José Miguel Insulza, viajará na sexta-feira para a capital hondurenha para reunir-se com o governo interino de Roberto Micheletti, depois que o organismo internacional ameaçou, na quarta-feira, suspender o país da instituição se Zelaya não for restituído em 72 horas.

"Ele vai informar do ultimato, não vai negociar absolutamente nada", disse Zelaya em entrevista coletiva no Panamá.

(Reportagem de Sean Mattson)

Mais conteúdo sobre:
HONDURAS ZELAYA ULTIMATO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.