Chefe da ONU critica 'horror' na Síria e pede fim da guerra

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon denunciou os "horrores" incessantes na Síria, pediu o fim da violência e mais ajuda para a região que vive uma situação catastrófica que se deteriora a cada dia.

SYLVIA WESTALL, Reuters

30 de janeiro de 2013 | 07h20

"Quantas pessoas serão mortas se esta situação continua?", disse Ban, durante um conferência de doadores no Kuweit, organizada para financiar as ações de ajuda humanitária da ONU.

"Eu faço um apelo a todos os lados e particularmente ao governo da Síria para que parem de matar ... em nome da humanidade, parem a matança, parem com a violência", disse.

Mais de 60.000 foram mortas desde que começou o conflito há 22 meses, afirmou a Organização das Nações Unidas (ONU).

(Reportagem de Sylvia Westall)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAONUHORROR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.