Chefe da ONU visitará Mianmar para pedir reforma democrática

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, visitará Mianmar esta semana para pedir aos líderes militares do país que conduzam reformas democráticas e libertem todos os prisioneiros políticos, disse uma porta-voz da ONU na segunda-feira.

LOUIS CHARBONNEAU, REUTERS

29 de junho de 2009 | 15h00

Ban visitará o país, conhecido no passado como Birmânia, entre 3 e 4 de julho, informou a porta-voz Michele Monta a jornalistas, acrescentando que havia diversos itens sobre os quais ele se concentraria nas reuniões com a junta.

"São eles: a libertação de todos os prisioneiros políticos, incluindo Daw Aung San Suu Kyi, a retomada do diálogo entre governo e oposição...e a necessidade da criação de condições que conduzam a eleições confiáveis", afirmou ela.

Suu Kyi, laureada pelo Nobel da Paz e principal líder de oposição do país, permanece na prisão ou sob prisão domiciliar intermitentemente desde 1989.

A junta militar que governa Mianmar desde 1962 abriu um processo contra Suu Kyi mais uma vez recentemente, sob a acusação de ela ter quebrado os termos da prisão domiciliar permitindo que um convidado não autorizado permanecesse na sua casa.

O julgamento deve ser retomado no dia 3 de julho, data da chegada de Ban a Mianmar. Diplomatas da ONU disseram que o secretário-geral estava preocupado que sua visita fosse usada como propaganda para legitimar o julgamento de Suu Kyi.

Mais conteúdo sobre:
MIANMARVISITAONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.