Chefe da Receita é convidado a falar sobre vazamento no Senado

A oposição no Senado conseguiu aprovar nesta quarta-feira convite para que o secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, preste esclarecimentos, na Comissão de Constituição e Justiça, quanto a suposto vazamento de informações sigilosas do órgão visando atingir candidatos da disputa eleitoral.

REUTERS

23 de junho de 2010 | 16h20

Dados referentes a processos movidos pela Receita Federal contra a Natura --empresa controlada pelo candidato à vice-presidência pelo PV, Guilherme Leal-- e informações privadas do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, tornaram-se públicos por meio de reportagens veiculadas pela imprensa nas últimas semanas.

Pelo requerimento, Cartaxo deve comparecer à comissão na próxima quarta-feira, às 10h. Como se trata de convite, cabe ao secretário optar pela confirmação, segundo informou a secretaria da comissão.

Reportagem veiculada no jornal Folha de S.Paulo no início de junho mostrou que a Receita cobra mais de 1 bilhão de reais da Natura em impostos, multas e honorários. De acordo com a reportagem, a empresa confirmou os números, mas informou que contesta as dívidas nas esferas judicial e administrativa.

Já as informações veiculadas sobre o dirigente tucano, também pela Folha, mostram documentos de acesso exclusivo da Receita com movimentações financeiras de Eduardo Jorge. Os documentos teriam sido obtidos por um suposto dossiê da campanha presidencial petista a partir de desdobramentos de investigação feita pelo Ministério Público.

O comando da campanha petista nega a autoria de suposto dossiê confeccionado a partir dos documentos sigilosos com o objetivo de atingir o candidato tucano à Presidência, José Serra.

O próprio partido formalizou pedido de investigação sobre o vazamento de informações na Polícia Federal e anunciou que vai processar o candidato José Serra (PSDB) por danos morais por ele ter acusado a candidata e o partido de produzirem material para atingi-lo.

(Reportagem de Bruno Peres; edição de Carmen Munari)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICARECEITADOSSIE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.