Chefe do tráfico em favela do Rio morre após perseguição

O chefe do tráfico da Favela do Aço, em Santa Cruz, zona Oeste do Rio, morreu hoje após troca de tiros com policiais do 27º Batalhão da Polícia Militar. Segundo relato dos policiais, Marcos Domingos da Costa, mais conhecido como Marquinhos Binha, de 35 anos, passou atirando perto de um posto da Polícia Militar da favela no início da manhã, quando voltava de um baile funk. Os policiais chamaram reforços e iniciaram uma perseguição.

KELLY LIMA, Agencia Estado

09 Agosto 2009 | 20h18

Para tentar escapar, o traficante invadiu uma igreja evangélica e rendeu cinco pessoas, entre elas o pastor da igreja e uma mulher, que foi levada pelo bandido no carro dela, um Polo prata. Depois, abandonou o carro e a refém e invadiu uma residência no conjunto Cesarão. Fez um novo refém, substituindo o carro anterior por um Uno Mile, na tentativa de fugir da comunidade.

Os policiais conseguiram reconhecer o bandido no carro e continuaram a persegui-lo. O refém conseguiu saltar do carro em movimento, sofrendo apenas ferimentos leves. Já o traficante bateu o carro contra um poste, tentou fugir a pé, atirando contra policiais que o perseguiam, mas foi baleado. Ele chegou a ser levado com vida para o Hospital Pedro II, mas não resistiu aos ferimentos.

Mais conteúdo sobre:
violênciaRio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.