Chega a 65 número de mortos em SC, diz Defesa Civil

Mais de 44 mil pessoas ficaram sem casa; 44 municípios do Estado enfrentam problemas de alagamento

AE, Agência Estado

25 Novembro 2008 | 08h06

Durante esta segunda, 24, os números da tragédia em Santa Catarina não pararam de subir. Em 24 horas, as mortes em decorrência da chuva aumentaram em mais de 200% e o número de desabrigados e desalojados ficou 175% maior. Até as 23 horas, a Defesa Civil Estadual confirmava 65 mortos, cerca de 30 desaparecidos, 8 cidades isoladas e 44.151 pessoas sem casas. Ao todo, 44 municípios do Estado enfrentaram problemas de alagamento ou deslizamento e a estimativa é de que 1,5 milhão de pessoas tenham sido afetadas pelo excesso de chuva, entre desabrigados, ilhados, vítimas de falta d?água, luz, gás ou mesmo condução. Veja também:Tragédia em Santa Catarina 'Em menos de 1 minuto, eu perdi as duas', diz paiSP enviará 2 helicópteros para auxiliar a Defesa Civil de SCChuvas suspendem prazos judiciais em SC até quinta-feiraEstudo já mostrava como evitar problemas de enchentes em SC Condições em SC fazem Correios interromperem serviçosChuva deve continuar até 4ª; situação é crítica Chuva interdita estradas federais em Santa CatarinaChuvas interrompem abastecimento de gás em parte de SCBlog é criado para ajudar moradores afetados em BlumenauVeja galeria de fotos dos estragos em SC Os prefeitos de Gaspar, Rio dos Cedros, Nova Trento e Camboriú decretaram estado de calamidade pública. Autoridades de Brusque, Ilhota e Tijucas já sinalizaram que vão seguir a mesma determinação. O prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing, definiu já na noite de domingo o estado de calamidade. O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, decretou situação de emergência em todo o Estado e destacou que se enfrenta a pior tragédia climática da história catarinense. Em 1983, as chuvas no Estado deixaram 49 mortos.

Mais conteúdo sobre:
climachuvasSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.