China agradece ajuda internacional a vítimas de terremoto

Governo diz que já recebeu mais de US$ 860 milhões. Mais de 220 mil estão feridos.

Da BBC Brasil, BBC

18 de maio de 2008 | 08h50

O presidente da China, Hu Jintao, agradeceu neste domingo pela ajuda internacional que o país tem recebido para enfrentar os estragos provocados pelo terremoto que ocorreu nesta semana."Eu expresso gratidão de coração aos governos estrangeiros e aos amigos internacionais", disse Hu, segundo a agência estatal de notícias Xinhua.Segundo as autoridades, a contribuição para as vítimas do terremoto superou a marca de US$ 860 milhões.O terremoto de 7,9 na escala Richter sacudiu o sudoeste da China na segunda-feira passada. Mais de 32 mil mortes já foram confirmadas e estima-se que o número possa atingir até 50 mil.Reatores nuclearesMais de 10,6 mil pessoas ainda estão soterradas, segundo autoridades da província de Sichuan, a mais atingida pelo terremoto.As autoridades disseram à agência estatal que os reatores nucleares próximos às áreas afetadas pelo terremoto não correm risco.Sichuan abriga cinco prédios com atividades nucleares nas proximidades do epicentro do terremoto.No sábado, a cidade de Beichuan, a mais atingida, teve de ser evacuada temporariamente devido a temores de enchente.Os trabalhos de resgate foram interrompidos no sábado, com equipes de segurança fugindo da cidade. Os temores sobre a possível enchente foram descartados e as equipes de resgate já retomaram os trabalhos na cidade.No sábado, o governo chinês divulgou mais números da catástrofe. Mais de 220 mil pessoas ficaram feridas, não só na província de Sichuan, mas também em Gansu, Shaanxi, Chongqing, Hubei, Henan e Guizhou.As equipes de resgate têm dito que as chances de se encontrar sobreviventes estão cada vez menores, pois já se passou quase uma semana desde o terremoto.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.