China aprova contratos de swap para minério de ferro e carvão, dizem fontes

O banco central da China aprovou o lançamento dos primeiros contratos de swap de minério de ferro e carvão térmico, disseram duas fontes da indústria nesta segunda-feira, dando a agentes do setor ferramentas de proteção contra o risco de preços voláteis.

REUTERS

14 de julho de 2014 | 10h33

A China é o maior consumidor global de minério de ferro e carvão.

O lançamento dos dois contratos de swap é o mais recente esforço do país para ganhar influência sobre a precificação destas commodities.

O movimento pode ameaçar os contratos de swaps com liquidação financeira negociados na bolsa de Cingapura e pelo CME Group .

Os novos contratos serão precificados em iuan, com compensação na Shanghai Clearing House, disseram duas fontes da indústria familiarizados com o assunto.

"Os dois contratos serão lançados em breve e ambos ao mesmo tempo", disse uma das fontes, que pediu para não ser identificada porque não está autorizada a falar com a imprensa.

Representantes do banco central da China não foram encontrados para comentar.

O contrato de swap é um derivativo com liquidação financeira entre um vendedor e um comprador, com um preço fixado por um determinado período de tempo, que oferece garantia de preço para as duas partes.

(Por Coco Li e Fayen Wong)

Tudo o que sabemos sobre:
MINERACAOCHINASWAPS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.