China bloqueia site da BBC em meio ao aumento da tensão em Hong Kong

Censores chineses bloquearam o site da emissora britânica BBC, disse a empresa de mídia em um comunicado, informando que o fato aconteceu após o aumento das tensões em Hong Kong entre manifestantes pró-democracia e a polícia.

REUTERS

16 de outubro de 2014 | 09h46

A emissora disse que a medida parecia ser uma “censura deliberada”, mas não informou o que pode ter motivado Pequim a fazer isso - também estão bloqueados os sites do New York Times, da agência de notícias Bloomberg e da BBC em língua chinesa.

“A BBC condena fortemente quaisquer tentativas de restringir o livre acesso às notícias e informações e estamos protestando perante as autoridades chinesas. Isso parecer ser uma censura deliberada”, disse Peter Horrocks, diretor do grupo de serviços mundiais da BBC, no comunicado divulgado na quarta-feira à noite.

O site em inglês da BBC ainda estava inacessível na China nesta quinta-feira de manhã.

Em Hong Kong, a polícia utilizou spray de pimenta nesta quinta-feira para evitar que manifestantes pró-democracia bloqueassem uma via principal perto da prefeitura da cidade, em meio à indignação após a polícia ter espancado um manifestante um dia antes.

Hong Kong é um território da China, classificado como Região Administrativa Especial.

Um representante chinês disse à imprensa estrangeiras em Hong Kong na quarta-feira que a China tem visto interferência de “forças externas” nos protestos pró-democracia na cidade, e pediu que jornalistas internacionais sejam “objetivos" em seus relatos.

(Por Adam Jourdan)

Mais conteúdo sobre:
CHINAMIDIABBCCENSURA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.